Diagnóstico, análise e diálogo nortearão as ações da Secretaria de Cultura

Os primeiros dias de governo correspondem ao período de início do mandato. A boa gestão durante o período é fundamental para o desenvolvimento das políticas públicas nos quatros anos. Desta maneira, algumas Secretarias realizam diagnósticos em suas pastas e ‘preparam o campo’ para realizar uma gestão eficiente. Uma das pastas que promove essa análise é a de Cultura.

De acordo com a secretária de Cultura Rosselane Giordani, os primeiros dias são utilizados para ter o conhecimento do andamento de todos os relatórios encaminhados pela equipe de transição. “A equipe recebeu um feedback sobre os equipamentos da Secretaria de Cultura e seus funcionamentos, as suas pendências relacionadas as reformas, aos reparos ou aos ajustes estruturais. Diante do relatório de gestão elaborado pela equipe de transição, os equipamentos de Cultura foram visitados por mim. Na sequência, a equipe iniciou a avaliação”.

Museu, CEU das Artes, Teatro de Toledo e outros locais foram visitados pela secretária. Rosselane cita como exemplo o Teatro. Obras aconteceram na estrutura na gestão passada. “A manutenção do ar-condicionado foi resolvida parcialmente. Nós sabemos que o sistema de refrigeração tem a ‘idade’ do Teatro. É um sistema antigo. Além disso, a reforma na área administrativa também foi realizada; o problema está sanado neste local. No entanto, a questão do ar está parcialmente resolvido. Nós precisamos realizar a troca de uma peça para melhorar ainda mais o funcionamento desse sistema, considerado antigo”. Outros reparos no Teatro devem ser realizados, como manutenção da calha, colagem de carpete, melhorias na parte acústica, entre outros.

Melhorias também devem ser realizadas no CEU das Artes e na Praça do CEU. A secretária enfatiza que são ações pontuais e elas refletem nas execuções das atividades programadas pela pasta. “No CEU das Artes precisamos resolver problemas de goteiras no telhado. Na Praça, queremos deixar a estética mais bonita, providenciar ligeiras e realizar limpezas. São ações pequenas, porém elas refletem no melhor atendimento para a comunidade”.

LEVANTAMENTO – Priorizar o atendimento para a população, porém com toda a segurança é primordial para a secretária. Rosselane afirma que o serviço mais importante é a revisão elétrica de cada espaço público. A equipe também irá avaliar a condição do equipamento. “No ano passado, os espaços ficaram fechados. Com isso, precisamos avaliar os materiais técnicos, como microfone e caixa de som. Estamos neste processo de verificar o que está em funcionamento e diante da necessidade promover o seu reparo”.

Com relação ao Museu, Rosselane informa que o local apresenta o problema de descolamento das pastilhas. “No relatório da transição, a equipe técnica realizou a primeira vistoria no prédio. Na semana passada solicitei nova visita técnica da Secretaria de Planejamento para realizar a análise. Tenho conhecimento que existem problemas de infiltrações e goteiras que precisam ser resolvidos. São demandas emergenciais e é importante que a população saiba o que estamos fazendo nestes equipamentos”.

RECURSOS – A Secretaria de Cultura possui um orçamento avaliado em aproximadamente R$ 3,4 milhões, sendo que em média R$ 1,5 milhão é utilizado com a folha de pagamento dos servidores da pasta. Por isso, Rosselane solicitou para a equipe realizar o levantamento de orçamentos das ações ou serviços a serem executados pela Secretaria. “Promovi uma reunião e comentei sobre a necessidade de termos todos os orçamentos. Alguns recursos são destinados para obras. Outros são livres. Com o levantamento, nós conseguimos efetivar o planejamento. O meu critério sempre será garantir a segurança nos espaços”.

ATIVIDADES – Outra situação observada pela Secretaria refere-se a organização dos cursos neste ano. Rosselane explica que aguarda a publicação de um novo decreto por parte do Executivo para orientar os Planos de Contingências estabelecidos para os espaços, sejam privados ou públicos”.

A secretária recorda que muitos professores estão em período de férias neste mês. “Aguardo o retorno e pretendo dialogar com eles. Assim, produziremos uma proposta viável, a qual irá garantir a segurança dos professores e dos alunos”.

De maneira preliminar, Rosselane acredita que as matrículas e rematrículas devem acontecer na primeira quinzena de fevereiro. “A Secretaria deverá publicizar a informação em órgão oficial e conversar com os órgãos de imprensa sobre o assunto”.

Uma ideia citada pela secretária que deve auxiliar no processo é a possibilidade do Departamento de Informática realizar as matrículas de maneira on-line ou criar um sistema para fornecer senhas. “Historicamente, nós sabemos que filas são formadas nas proximidades da Casa da Cultura. Com responsabilidade, a nossa intenção é não provocar aglomeração”.

De maneira geral, Rosselane cita que as decisões estão sendo cautelosas e elas acontecem com responsabilidade. “Nós queremos estabelecer mecanismos para garantir a segurança do aluno e do servidor”.

Da Redação

TOLEDO