Egressos da Unioeste cursam doutorado no exterior

0 21

Egressos do Programa de Pós-Graduação em Economia, da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste – campus de Toledo), cursam o doutorado em universidades estrangeiras. Os ex-alunos são Daniel Amorin Centurião e Caroline Andressa Welter (cursando doutorado na West Virginia University); Ana Cláudia Bermann (University of Ottawa, no Canadá); e Roberta Vedana (que cursa o doutorado na Universidade de São Paulo e passa um período na University of Illinois, em Urbana-Champaign – UIUC).

Vedana conta que, durante o mestrado na Unioeste, teve a oportunidade de participar do projeto “Uma análise de perdas pós-colheitas no Estado do Paraná (Brasil)”, realizado em um convênio que envolveu a Unioeste e a Universidade de Illinois. Da participação no projeto veio a dissertação de mestrado e abriu a possibilidade de cursar o período sanduíche do doutorado em Illinois. “Essas parcerias estabelecidas pela Unioeste, através de seus professores e programas de pós-graduação, são extremamente importantes, pois promovem a integração acadêmica e aceleram o processo de internacionalização, abrindo portas para que alunos estudem no exterior”, avalia Vedana.

Centurião conta que sempre quis ter uma experiência no exterior e que, com as aulas remotas durante a pandemia, teve a oportunidade de pesquisar como era o processo de seleção para o doutorado nos Estados Unidos. Ele ainda explica que as aulas de doutorado nos Estados Unidos têm duração de uma hora e meia e costumam ser mais intensas, o que exige um preparo prévio do estudante. “Uma vantagem para mim foi o fato das universidades por onde passei no Brasil terem me oferecido um conhecimento teórico e histórico sólido sobre a teoria econômica”, afirma Centurião. Ele conta, também, que as aulas que teve no Centro de Ensino de Línguas de Toledo (CELTO – curso de línguas estrangeiras oferecido pela Unioeste a baixo custo) o ajudaram a melhorar a conversação em inglês.

O coordenador do PGE, Flavio Braga de Almeida Gabriel, explica que o objetivo do programa é formar profissionais com alto nível de qualificação e que a aceitação dos estudantes formados pelo PGE em doutorados no exterior é um exemplo de que este objetivo está sendo alcançado. “Para o programa e para a Universidade, é muito importante que a gente consiga colocar esses profissionais lá, primeiro porque é um sinal de que o PG está conseguindo cumprir o seu papel social pela qualidade que tem e, ao mesmo tempo, esses profissionais levam o nome da instituição (tanto da Unioeste quanto do PGE) para outros grandes centros”, avalia o coordenador.

Daniel Schneider

TOLEDO

Deixe um comentário