Em 1ª coletiva, prefeito em exercício fala sobre ações de combate à pandemia

O prefeito em exercício de Toledo, Ademar Dorfschmidt, por meio da Chefia de Gabinete, convocou uma coletiva de imprensa, para a tarde desta segunda-feira (22), com o objetivo de esclarecer os motivos do afastamento do prefeito Beto Lunitti. O chefe do Executivo Municipal encontra-se internado devido à Covid-19 e foi formalmente afastado de suas funções para que possa intensificar o tratamento contra a doença causada pelo novo coronavírus.

Ademar falou sobre a sintonia que tem com Lunitti e destacou que assume a função somente do ponto de vista formal, pois acredita que em breve Lunitti estará de volta ao cargo que a população lhe conferiu nas urnas. “O desafio que temos pela frente é gigantesco: vivemos um momento único na humanidade, que nos afeta cada dia mais. Quando tomei posse como vice-prefeito, não era assim que eu gostaria de assumir o Executivo Municipal, mas, sim, só durante alguns dias enquanto nosso prefeito tirasse férias com sua família. Como não foi desta forma, decidi que não ocuparei o gabinete e nem usarei o carro dele para desempenhar minhas obrigações como prefeito em exercício, pois sei que ele estará de volta logo, para colocar em prática o plano de governo eleito pela nossa população.”, destaca.

Diante do afastamento de Beto Lunitti, o prefeito em exercício pediu a colaboração de todos para ajudá-lo a conduzir Toledo em uma situação tão delicada. “Ajudem-me a conduzir os trabalhos de uma forma ordeira, de forma que possamos continuar orgulhosos do nosso município, para que não deixemos nem uma vírgula, nem uma dúvida que cause descontentamento à população. Peço às autoridades e lideranças da sociedade para que, diante de um cenário tão assustador causado por esta pandemia, deixemos as ideologias de lado por enquanto, pois está na hora de nos colocarmos à disposição de nossa gente que está tão fragilizada, insegura, temerosa. É preciso dar a esta gente uma resposta harmônica, com respeito e transparência no uso do dinheiro público”, conclama.

Outro auxílio solicitado por Ademar é em relação ao conjunto da sociedade. “Nenhuma decisão unilateral minha para conter esse vírus que está abalando o mundo terá efeito se os entes administrativos e principalmente se a população não aderir a esta causa, colaborando para não formar aglomeração, e usando máscara e álcool em gel. Portanto, peço para que me ajudem a conduzir este município, pois ele é merecedor de boas políticas, porque aqui vive gente do bem”, salienta. “Peço orações ao Beto e a todos que estão passando por este flagelo, que é a Covid-19. Que todos nós tenhamos empatia com os que sofrem em razão desta crise financeira decorrente da crise sanitária causada pelo novo coronavírus. Não existe receita milagrosa que acabe com esta pandemia, somente com muita solidariedade  e serenidade será possível atravessar esse momento, durante o qual notícias falsas e pessimistas em nada agregarão”, analisa.

Melhoria em estrutura

Ademar também falou sobre as ações colocadas em prática pelo município e pelo Governo do Estado no sentido de diminuir o sofrimento causado pela recente piora da pandemia no Paraná. “A prefeitura está fazendo a sua parte. Nossos servidores, sobretudo os da saúde, deitam e dormem com a consciência tranquila, pois têm feito tudo que era legalmente possível. Saímos de três para 20 pontos de intubação no Mini Hospital e Toledo passou de 22 para 46 leitos de UTI [Unidade de Terapia Intensiva] pelo SUS [Sistema Único de Saúde], sendo 24 somente para pacientes com Covid. O Governo do Estado também viabilizou a criação de mais 32 leitos de UTI em Regional, sendo 28 em Assis Chateaubriand e quatro em Palotina”, relata. “Felizmente, nenhum paciente faleceu de Covid-19 por falta de atendimento e para que a situação sanitária não fique ainda mais crítica é necessário da atitude de cada cidadão em não ajudar na disseminação do novo coronavírus. Sem este apoio, não conseguiremos vencer esta pandemia”, frisa.

Antes da coletiva, o chefe temporário do Executivo de Toledo participou de conferência com mais de 1.000 prefeitos de todo o país em que os termos do consórcio para aquisição de vacinas contra a Covid-19 foram tratados. “A intenção do Beto em participar deste consórcio tem também minha anuência e vamos fazer o que for possível para adquirirmos estas doses, sem as quais dificilmente sairemos desta pandemia”, observa.

Feriados

Muitos especialistas apontam as festividades do Carnaval como fator principal para a piora do quadro epidemiológico da Covid-19 em todo o Brasil. Diante disso, o prefeito em exercício Ademar Dorfschmidt foi questionado se pretende fazer algo para que o mesmo ocorra na Páscoa, principal data do calendário cristão que será celebrada daqui 13 dias. “Estes feriados nos deixam apreensivos, pois ocorre uma circulação maior de pessoas, reuniões familiares e outras práticas que devem ser evitadas neste momento. Mesmo diante de uma situação em que tivemos redução no número de casos, temos que avaliar se vamos manter, restringir ou flexibilizar nos pontos em que os decretos municipal e estadual preveem limites”, pontua.

Ademar, contudo, vê com preocupação a situação relacionada a uma possível falta de insumos no atendimento a pacientes com Covid-19. “Nunca houve um consumo destes produtos nas unidades de saúde como agora. É uma situação que inspira cuidados, pois é algo único na história da Medicina”, sublinha o prefeito em exercício.

Sobre esta questão, a secretária da Saúde, Gabriela Kucharski, falou que está sendo registrado um sobrepreço na aquisição de certos medicamentos necessários para intubação de pacientes. “Há casos em que certos produtos custam agora seis vezes mais do que custavam no começo do ano. Isso ocorre porque todo mundo está precisando desses itens, que correm sério risco de faltar daqui poucos dias”, alerta. “É bom lembrar que UTI não é só leito e respirador. Este suporte necessita de alguns equipamentos, como monitores e bombas de infusão, e principalmente de médicos intensivistas especializados. Também vale lembrar que a estrutura que temos no PAM [Pronto Atendimento Municipal] dá alguma assistência para estabilizar pacientes em estado grave enquanto espera uma vaga em UTI”, descreve.

Boletim

Após apresentar dados deste cenário assustador, Gabriela fez a leitura do boletim expedido pelo Hospital Geral da Unimed (HGU) sobre o quadro de saúde de Beto Lunitti (veja na íntegra ao fim da matéria). Também aproveitou para desmentir o boato de que o prefeito estava à espera de leito de UTI.

A secretária  também pediu a colaboração da imprensa para não colaborar com a disseminação de notícias mentirosas. “Conversei há pouco com um dos médicos que atendem o nosso prefeito e este me informou que ele está em situação estável, sem necessidade de internação em unidade de terapia intensiva. Não temos intenção de esconder nada de ninguém e pedimos que não divulgue nada além das informações oficiais que serão comunicadas por meio de boletins diários. Temos que respeitar a espera pela divulgação destes boletins e sobretudo esse momento pelo qual a família do Beto passa e não colaborar para espalhar fake news”, solicita.

Da Prefeitura de Toledo-PR