Em 2020, o pé de chuchu deu ‘chuchu-moranga’

O chuchu é considerado um dos legumes mais baratos e abundantes, porém algumas pessoas acham a hortaliça sem graça ou sem gosto. O que muitas pessoas não sabem é que o chuchu é rico em água e pobre em calorias e pode ser um aliado na dieta para quem deseja eliminar uns quilinhos.

Muita gente afirma que chuchu é sem graça, porém a poetisa Neida John Pitt garante que existem várias receitas que ficam gostosas com esse alimento. “Além disso, o chuchu é fonte de muitos benefícios para a saúde das pessoas”.

Neida recorda que gosta de comer chuchu desde quando era criança. “Minha mãe, a dona Guriazinha, cozinhava para a família quando morávamos ainda em Miraguaí, município localizado no Rio Grande do Sul. Minha mãezinha fazia o chuchu refogadinho com temperinhos verdes, na sopa ou na salada. Todas as receitas são deliciosas”.

Outra receita de dona Guriazinha que Neida adorava era o chimarrão de chuchu com mamão. “Eu amo chuchu por tudo o que ele representa em minha vida e por ser um importante aliado à saúde. Ele é diurético e ótimo para o coração”.

 

PLANTIO – Seu nome científico é Sechium edule, um vegetal da categoria dos frutos. Apesar de ser uma hortaliça, ou seja, pode ser cultivada na horta caseira, é considerada um fruto, tal como o tomate. E um fato inusitado aconteceu na plantação de dona Neida em 2020. Ela conta que há quatro anos planta chuchu. “Eles sempre cresceram com tamanhos considerados normais. Mas, neste ano, um deles se desenvolveu diferente. Ele cresceu com um tamanho maior; parece um formato de moranga. Eu até apelidei de chuchu-morangas. Eu estou admirada com esse chuchu, porque mantive os cuidados semelhantes aos anos anteriores”.

O que também atraiu a atenção de Neida é que ela decidiu plantar novos pés de chuchus nesta safra. No entanto, esse tamanho diferente é observado em um pé mais velho. “Achei interessante, maravilhoso e lindo”.

 

PESQUISA – Diante da novidade, ela recorreu aos serviços do Google e realizou muitas pesquisas, porém não encontrou nenhuma explicação plausível para tal fenômeno. “Os demais chuchus estão crescendo e ganham a forma mais comprida, considerada normal”, relata Neida ao demonstrar o seu amor e cuidado com os pés de chuchus. “Eu irrigo a cada dois dias quando o clima está muito seco. Essa plantação é importante para mim”.

Em contato com uma profissional do Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná – Iapar-Emater (IDR-Paraná), vários fatores podem contribuir com o tamanho do fruto, como genética, fertilidade do solo, disponibilidade de água. Entretanto, a profissional afirma que é difícil dizer qual fator pode ter contribuído de forma única para esse resultado”.

Além do chuchu, dona Neida planta mandioca, batata doce, cebolinhas e alguns chás. “Também tenho plantação de girassol; Três Marias ou Primavera; várias espécies de flores; cactus e suculentas; rabo de gato e crista de galo. Porém a minha paixão é o chuchu e compartilho essa paixão com outras pessoas; já doei muitas mudas para várias famílias de Toledo e também de outros estados e cidades”, finaliza Neida.