Embaixada solidária recebe visita oficial do poder executivo

Um abraço de acolhimento e amor na chegada ao Brasil. Essa é a missão da Embaixada Solidária que têm sede em Toledo, mas que atende o mundo. A entidade recebeu na quinta-feira (25) a visita do prefeito de Toledo, Beto Lunitti e do vice-prefeito Ademar Dorfschimidt, que foram recebidos pelos voluntários e atendidos da Embaixada Solidária. A entidade existe desde 2015 e atua nas mais diversas áreas, desde de a preservação da cultura e acolhimento até na profissionalização e incentivo ao empreendedorismo.

Cerca de 14 etnias já passaram pelo atendimento do grupo de voluntários que se uniram para auxiliar os mais de 4 mil estrangeiros que vivem no município. A região é uma das mais procuradas pela comunidade estrangeira em razão da oferta de emprego dos frigoríficos e indústria têxtil.

Durante a visita, o prefeito Beto Lunitti destacou que sua gestão é pautada em politicas públicas que permitam que todos sejam vistos e atendidos com igualdade e respeito. “Vamos evoluir no atendimento da comunidade estrangeira que vive em nossa cidade e entendemos que o trabalho voluntário é de total importância para a causa. A Embaixada Solidária é uma ferramenta para servir a comunidade e sem dúvidas uma grande parceira para futuros projetos que desenvolva tanto a comunidade brasileira como o público estrangeiro”, afirmou o prefeito.

Ademar Dorschimidt lembrou a importância do processo migratório para a construção da sociedade e da cultura de um país. “Quando encontramos uma maneira de transformar o mundo em uma casa comum, certamente entendemos o sentido da vida e também um caminho mais tranquilo enquanto humanidade”, destacou.

Depois de conhecer os projetos e o funcionamento do local, os voluntários apresentaram o planejamento para o próximo período e trataram de pautas especificas, como por exemplo, o Projeto de Geração de Renda para Mulheres (PGRM), dentre outros.

Muitos dos estrangeiros que vivem em Toledo já estão empreendendo. O estilista senegalês, Abdou N’diaye que aproveitou a visita para presentear às autoridades com suas peças. “Fico muito feliz em ser recebido no Brasil com carinho. Meu trabalho é uma forma de retribuir tudo o que esse país representa pra mim que é a chance de recomeçar a vida”, afirmou.

A sede da entidade é compartilhada com a Associação dos Jovens Haitianos que vivem em Toledo, um imóvel cedido pelo município de Toledo e reformado pela comunidade e voluntários. 

Da Prefeitura de Toledo-PR