Entrevistas para aderir ao CadÚnico iniciam 17 de fevereiro

O Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚnico) é a porta de entrada das famílias com alguma vulnerabilidade econômica para acessarem os programas do Governo Federal. Em Toledo, aproximadamente dez mil famílias estão cadastradas no CadÚnico, o que representa cerca de 26 mil pessoas.

A Secretaria Municipal de Assistência Social realizou, no início deste mês de fevereiro, uma capacitação para entrevistadores do CadÚnico. O objetivo era instruir os servidores dos Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) a realizar entrevistas do referido cadastro, visando assim auxiliar na redução da demanda reprimida nos territórios dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS): I, II, III e IV.

As entrevistas estão previstas para iniciar a partir do dia 17 de fevereiro. A meta definida pretende zerar a demanda do ano de 2020 em dois meses de ação conjunta entre os Serviços de Convivência e os CRAS. Os serviços já entraram em contato com as famílias solicitando a documentação necessária.

A secretária de Assistência Social, Solange dos Santos Fidelis, informou que atualmente a demanda reprimida desses territórios atinge o total de 2115 famílias à espera de entrevista. “Essa entrevista é necessária para acessar os programas e benefícios sociais”, salientou.

SAÚDE E ASSISTÊNCIA – Ainda este mês, gestores da Secretaria de Assistência Social e da Secretaria de Saúde estiveram reunidos para dialogar e repactuar instruções operacionais em conjunto. Foi discutido sobre os serviços de acolhimento institucional de crianças e adolescentes, e sobre o atendimento à população em situação de rua.

Também foi dialogado sobre questões para indicativo de retorno de atividades presenciais de alguns serviços da Assistência Social. A reunião teve objetivo de atualizar fluxos e fortalecer o trabalho intersetorial. “Novos desafios apontam, que exigem estudo e construção de normativas para subsidiar a rede no atendimento diante da conjuntura de pandemia”, explicou a secretária Solange Fidelis.

A Secretaria de Assistência possui hoje três casas abrigo, sendo uma para atendimento de crianças de 0 a 6 anos; uma casa para crianças de 6 a 12; e outra casa para adolescentes. “Cada casa tem capacidade para até 20 crianças e adolescentes, atualmente temos 26 crianças e adolescentes acolhidos”.

“Quanto à questão de saúde, temos duas crianças com quadro que demanda cuidados integrais 24 horas por dia, em que há equipe de saúde para realizar os cuidados. Além de todo o acompanhamento que é acessado pelas crianças e adolescentes pela rede do SUS”, acrescentou a secretária.

INTERSETORIALIDADE – A Secretaria de Assistência Social tem realizado diversas rodadas de diálogos com gestores e técnicos de outras pastas a fim de fortalecer a intersetorialidade e contribuir no desenvolvimento do planejamento para o ano de 2021. Além disto, também tem oferecido formação para a equipe de gestão, no sentido de preparar os profissionais para as demandas existentes e que auxiliem na compreensão da política pública da Assistência Social.

TOLEDO