Fundo de Estábulo: Executivo encaminha PL de apoio à pecuária leiteira

A Prefeitura de Toledo, na última segunda-feira (8), encaminhou à Câmara de Vereadores o Projeto de Lei nº 18/2021, o qual acrescenta (inciso X) o programa “Fundo de Estábulo” ao Programa de Desenvolvimento da Agropecuária de Toledo, criado pela Lei nº 53/2009. Se aprovada, a proposta permitirá que o governo municipal contrate e custeie a implantação de piso de concreto usinado em propriedades que se dedicam à pecuária leiteira. Em 2019, as 1.100 propriedades do município que se dedicam à atividade obtiveram 84 milhões de litros de leite.

De acordo com o texto do projeto, esta melhoria pode ser feita em três espaços: entre a unidade de alojamento de animais e a unidade de ordenha, na base do silo e em demais áreas de interesse mediante aprovação da Secretaria Municipal de Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Para fazer jus ao benefício, os interessados devem apresentar dados cadastrais da propriedade e dos animais e demais comprovantes constantes no texto da lei. 

O piso para as propriedades que atenderem os requisitos terá dez centímetros de espessura até o limite de 40 metros quadrados por unidade produtiva rural. 

Parcerias para inovar 

O projeto é inovador e, juntamente com outras ações planejadas pelo Departamento de Desenvolvimento Agropecuário e Abastecimento, foi apresentado ao Instituto de Desenvolvimento Rural do Paraná (IDR – Paraná) em encontro com a participação de representantes das duas entidades. Estavam presentes o prefeito Beto Lunitti, o vice Ademar Dorfschmidt e o coordenador regional do IDR, Ivan Decker Raupp. “O Fundo de Estábulo é um programa para atender nossa pecuária leiteira. Temos condições de ampliar este segmento”, explicou Ademar Dorfschmidt.

Durante o encontro ainda foram apresentadas outras propostas de programas e projetos para atender várias demandas do campo como conectividade rural, moradias, agricultura de precisão, bioenergia e piscicultura. “Estamos muito afinados e convergentes nos propósitos para melhorar a vida do nosso homem do campo. Este encontro com os representantes do IDR demonstra que estamos alinhados com o Governo do Estado”, frisou Beto Lunitti.

Como vai funcionar?

Quem precisar da benfeitoria em superfície maior que a estabelecida deverá arcar com os custos da diferença. “É um investimento com retorno garantido, pois se traduzirá em uma qualidade sanitária muito melhor no leite produzido em Toledo, pois, a partir dessa melhoria, será possível reduzir consideravelmente um dos maiores problemas sanitários da pecuária leiteira: o surgimento de lesões nos casos e doenças nas glândulas mamárias das vacas decorrentes da umidade dos atoleiros que muitas vezes se formam nos acessos aos estábulos”, explica o diretor de Desenvolvimento Agropecuário e Abastecimento, João Luis Nogueira. 

A mensagem enviada à Câmara de Vereadores detalha que caberá ao produtor a ser beneficiado pelo programa realizar previamente os serviços de escavação e colocação de estacas, ferragens amarradas, telas, quadros com 10 centímetros de altura para que o concreto seja encaminhado. 

Os interessados devem se inscrever na Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento do município conforme demanda. “Tão logo o projeto seja aprovado e sancionado pelo prefeito, vamos dar prioridade aos produtores contemplados pelo Programa Municipal de Inseminação Artificial, para os quais já prestamos assistência nos serviços de melhoramento genético por meio de fornecimento de sêmen e nitrogênio”, acrescentou o secretário da pasta Diego Bonaldo.

Da Prefeitura de Toledo-PR