Interditado: comunidade do Colégio Esperança Favaretto Covatti aguarda por uma solução

A comunidade do Colégio Estadual Esperança Favaretto Covatti, em Toledo, ainda aguarda o início das obras em uma de suas estruturas, já que no começo do mês de maio deste ano, a Defesa Civil de Toledo interditou um dos blocos devido apresentar o perigo de desabamento. Após mais de cinco meses, o Núcleo Regional de Educação (NRE) de Toledo recebeu, nesta semana, o laudo técnico da empresa responsável por realizar o estudo no local.

A realidade de um dos blocos do Colégio não começou em 2021, e sim, ela se arrasta desde março de 2020. Além disso, o espaço já havia sido reformado há quatro anos e devido ao mesmo problema. Atualmente, os danos naquela estrutura estão maiores e, inclusive, o muro de contenção pode desabar.

Ontem (27), a chefe do NRE de Toledo Neiva Marques de Andrade Niero disse que a empresa foi contratada para realizar a sondagem do solo e outras análises. “O laudo traz várias informações técnicas, entre elas, a possibilidade de realizar o escoramento da estrutura; construir um muro de arrimo; realizar a drenagem do solo e, por fim, recuperar a estrutura”.

Neiva recorda que a última intervenção no Colégio aconteceu no ano de 2016. “Foi uma obra bem executada, porém nova rachadura aconteceu no ano passado. Neste momento, o Núcleo com Instituto Paranaense de Desenvolvimento Educacional (Fundepar) analisam quais alternativas serão mais viáveis, pois projetos deverão ser elaborados e então as obras serão promovidas; ainda sem data para ocorrer”.

Além disso, a chefe do NRE de Toledo informa que pretende se reunir com representante da Defesa Civil nos próximos dias. “Nós já promovemos uma reunião com os servidores do Colégio e apresentamos o laudo; agora queremos conversar com a Defesa Civil sobre esse assunto”, salienta Neiva.

Enquanto isso, os estudantes participam das aulas no Centro Estadual de Educação Básica para Jovens e Adultos (Ceebja). Aproximadamente 200 alunos utilizam as salas daquele local. “Os alunos possuem transporte escolar para ir ao Centro e com a supervisão de um inspetor”, menciona a chefe do NRE de Toledo ao informar que não existe previsão para o começo da obra no Colégio.

Da Redação

TOLEDO