Lideranças de Toledo destacam legado deixado por Schiavinato

A morte do deputado federal José Carlos Schiavinato, internado há cerca de 40 dias por causa da Covid-19, caiu como uma bomba nos meios políticos de Toledo. Os ouvidos pela reportagem do JORNAL DO OESTE classificaram como “irreparável” a lacuna que será deixada daqui por diante e se solidarizaram com a família num momento tão difícil.

Ainda se recuperando da mesma Covid-19, o ex-deputado federal Dilceu Sperafico disse estar vivendo um “momento muito difícil e triste pela vida de um cidadão que Toledo perde, uma perda irreparável para nossa sociedade”, disse Sperafico, a quem entregou de certa forma o legado de manter Toledo em evidência na Câmara Federal justamente a Schiavinato.

Na visão do ex-deputado e ex-chefe da Casa Civil do Governo do Paraná, José Carlos Schiavinato foi um “prefeito espetacular, realizou um mandato excelente como deputado estadual e vinha exercendo seu mandato num momento muito difícil do nosso país de maneira brilhante”, comentou Sperafico, completando que “Schiavinato sempre mereceu meu respeito e fico triste pela falta que fará para todos nós toledanos”.

Abatido, o ex-prefeito Lucio de Marchi resumiu seu sentimento numa frase emblemática: “Difícil falar numa hora dessas. O Zé foi um grande parceiro”. Lucio foi vice-prefeito nos dois mandatos de Schiavinato à frente da Prefeitura de Toledo e ressaltou que Schiavinato deixou uma marca muito forte na gestão, tendo alçado o nome de Toledo em nível nacional. “Ele era uma pessoa dedicada e que conhecia os corredores da administração como ninguém. Vai deixar uma lacuna gigantesca na política local e do Paraná”, disse, emocionado, Lucio de Marchi.

Na visão do atual prefeito, Beto Lunitti, a morte de Schiavinato é uma “perda irreparável para Toledo diante do tamanho da liderança do Zé, que nos fará muita falta”, disse ele. Para o prefeito, é inegável os aspectos da luta e do conhecimento que Schiavinato contribuiu para com a sociedade e, em sua visão, abre-se uma lacuna do ponto de vista de lideranças.

Beto Lunitti disse ter certeza que diante da importância de sua trajetória, José Carlos Schiavinato receberá de cada toledano uma justa homenagem e que ele, Lunitti, decretaria luto oficial de três dias, além de se colocar à disposição da família. “Estou muito, muito triste porque a gente fica órfão em todos os sentidos e me compadeço com os sentimentos da família que perdeu há alguns dias dona Marlene”, comentou o prefeito de Toledo, completando que a cidade perde uma das grandes lideranças de sua história.

Presidente do Diretório do Progressistas em Toledo, Leandro Neselo mal conseguiu falar e afirmou que toda equipe estava consternada. “Ele nos deixa um legado gigante”, resumiu Neselo que, além de presidente, integrava a equipe de Schiavinato como assessor parlamentar.

O ex-vereador Luís Fritzen trabalhou durante muito tempo ao lado de José Carlos Schiavinato e afirmou não ter palavras para descrever o momento triste pelo qual todos estão passando. “É uma grande perda para Toledo, mas principalmente para a família e precisamos rezar para que ela tenha força suficiente para superar este momento”. Fritzen destacou que Schiavinato foi um grande colaborador de Toledo. “Não conheci prefeito que tinha tanta disposição de trabalhar em benefício de sua cidade e de seu povo”, disse o ex-vereador e presidente do Progressistas, completando que agora é preciso “restabelecer nossas forças para entender o que está acontecendo”.

O atual presidente da Câmara de Toledo, vereador Leoclides Bisognin, também lamentou a morte do deputado federal José Carlos Schiavinato que nesta quarta-feira deverá emitir uma nota oficial do Legislativo em nome de todos os 19 parlamentares lamentando a morte. Os dois foram secretários juntos na administração do ex-prefeito Albino Corazza Neto e a convivência resultou numa amizade entre ambos. Bisognin considera que Schiavinato foi um dos grandes políticos da história e que Toledo e região perdem muito.

 

Da Redação

TOLEDO