Mais de 40% dos serviços da parte civil foram efetivados no Hospital Regional

Os serviços de adequações do Hospital Regional de Toledo (HRT) estão em andamento. Até o dia 21 de dezembro, as atividades executadas pela parte civil já chegavam a 42,31%.

As atividades de reforma iniciaram na primeira quinzena de janeiro de 2020, porém as obras foram suspensas por conta de liminar obtida pelo Ministério Público do Paraná (MPPR). A ordem judicial atendeu o pedido em ação civil pública cautelar proposta por meio da 4ª Promotoria de Justiça da Comarca. Na época, o promotor responsável Sandres Sponholz argumentou que, enquanto não fosse definido o órgão gestor da unidade hospitalar, a retomada na obra poderia implicar em desperdício de recursos públicos.

Após o período de paralisação nas adequações da unidade, os trabalhos reiniciaram no dia 9 de março deste ano. Após a conclusão, o Hospital deve atender a população dos 18 municípios da 20ª Regional de Saúde de Toledo.

ADEQUAÇÕES – A empresa contratada é responsável pelas adequações da unidade e deve atender às necessidades de reestruturação física e adequações elétricas existentes, conforme Projetos, Memoriais descritivos, Especificações Técnicas, Planilha Orçamentária de Serviços e Cronograma Físico-Financeiro.

De acordo com um dos fiscais de obras do Hospital Regional Wagner Fernandes Quinquiolo, os serviços estão com um bom andamento. As equipes trabalham em duas frentes: civil e elétrica. “A equipe depende da evolução do serviço realizado com o ar-condicionado. Após a instalação dos equipamentos do ar, os trabalhadores instalarão o gesso”, afirma o fiscal.

Ele recorda que a empresa responsável já revisou a parte do gerador, da transformação de energia e da drenagem dos ares. Além disso, os quadros de distribuições estão, praticamente, todos instalados. Porém ainda faltam instalações complementares.

O fiscal complementa que os profissionais também estão revisando o telhado do Hospital. “Esse serviço influência na parte de impermeabilização. O telhado deve estar completamente vedado antes da instalação do forro de gesso”. Outra situação comentada pelo fiscal é que alguns serviços ainda dependem da condição climática.

ORÇAMENTO – O valor licitado para a reforma é de R$ 5.872.836,75, com contrapartida do Município. Mais dois aditivos foram realizados. Com recursos da administração, o primeiro aditivo é no valor de R$ 412.288,72 e é referente a parte elétrica. O segundo é no valor de R$ 498.546,16 e contempla serviços para as partes elétrica e civil. E, por fim, o convênio firmado com a Secretaria de Estado de Saúde (Sesa) no valor R$ 3.439.909,89 para investir na climatização.

REVISÃO – Considerando o último aditivo e a revisão constante do projeto de reforma do Hospital Regional de Toledo, a previsão para a conclusão da obra é entre os meses de junho e julho do próximo ano. O fiscal explica que essa expectativa é caso não ocorra intercorrência. “A revisão do projeto é constante. Ele é elaborado considerando uma situação, mas algumas vezes na execução precisamos rever alguns pontos”.

O fiscal esclarece que as alterações acontecem com base no acompanhamento do trabalho. “Nós começamos a fazer as revisões e aparecem novos serviços ou mudanças. Desta maneira, o projeto é revisado. A obra deve ser entregue com os pontos, considerados problemáticos, corrigidos”, finaliza.

Da Redação

TOLEDO