Manifestantes pedem tratamento precoce e reabertura do comércio

A disponibilização dos medicamentos para o tratamento precoce aos sintomas do novo coronavírus e, principalmente, a elaboração de um protocolo; o retorno das aulas presenciais nas redes de ensino pública e privada e a reabertura do comércio de Toledo na próxima segunda-feira (8) são as reivindicações de algumas pessoas que se reuniram em frente à Prefeitura de Toledo nesta quarta-feira (3) para um protesto público.

A gerente comercial Jussara Dorneles Zambrin revela que a principal reivindicação, neste momento, é o tratamento precoce para combater o contágio e a proliferação do coronavírus. “Na rede pública não existe tratamento precoce hoje. A informação que temos é que apenas profissionais da Unidade Básica de Saúde (UBS) do Cosmos prescrevem a medicação quando o paciente a solicita”, afirma ao enfatizar que o grupo defende a elaboração de um protocolo para a prescrição do tratamento precoce. “A partir do momento em que o gestor adotar uma postura diferente na questão sanitária, como adotando o tratamento precoce a realidade de Toledo será diferente”.

COMÉRCIO – Jussara ainda pontua que os empresários, assim como todos os trabalhadores, precisam retomar os seus negócios. “A reabertura do comércio deve acontecer na próxima segunda-feira”, defende ela. Conforme a profissional, o setor estava seguindo todas as normas estabelecidas nos protocolos da Prefeitura. “Nenhum lojista aguentará ficar mais dez dias com as portas fechadas”. Ela complementa que todas as empresas possuem os seus compromissos financeiros, principalmente, no começo do mês. “Se nada for feito, o desemprego e a miséria vão aumentar no município”.

Segundo o empresário Ademir Menin, o impacto de cada medida prejudica as empresas. “O Decreto foi estabelecido no último final de semana do mês. No final de semana que nos dá a diferença. Nós estamos sem saber como pagar os nossos funcionários, porque eles já trabalharam e tem suas famílias. Também não sabemos como vamos pagar os boletos”.

Ele acredita que não é o comércio o responsável pelo aumento dos casos da Covid-19. “Nós estamos seguindo o protocolo. As medidas sempre foram sempre seguidas até mais do que devíamos. Quem realmente prejudica o momento é local com aglomeração e ninguém é multado”.

AULAS – “Nas escolas particulares tivemos essa conquista (aulas presenciais). No ensino público ainda ‘patinávamos’. O Decreto do Estado foi um retrocesso”, declara a gerente comercial Jussara ao acrescentar que “haverá a disponibilidade ao Ensino Híbrido. A família que optar por realizar o conteúdo em casa tem essa opção. Da mesma maneira, quem considera que é importante a criança retornar para o ensino em classe com a professora”.

A gerente comercial enfatiza que o tratamento precoce é uma solução para essa pandemia. “Ele deve ser disponibilizado de forma informativa e não com pavor. Diante da situação, um documento foi elaborado e será encaminhado ao prefeito de Toledo e ao Ministério Público para que todo o processo ocorra com transparência. Nós – comércio – não aguentamos pagar uma ‘conta’ que não é nossa”.

Uma das organizadoras da Manifestação Geral Roneli Pimentel Flesch avalia como positiva a ação da sociedade. “A quantidade de pessoas esperada não se confirmou, mas ficamos felizes com as pessoas que deram apoio ao grupo. Conseguimos passar as nossas mensagens aos gestores. Nós continuaremos na luta, principalmente, na busca ao tratamento precoce. Ele pode ser uma solução diante da pandemia, pois tem apresentado resultado positivo em outros locais”.

Da Redação

TOLEDO