Nelson Paludo, uma das principais lideranças do agronegócio do Paraná

Toledo, região Oeste e o Estado do Paraná perderam uma das principais lideranças do agronegócio. Faleceu, no início da manhã de ontem (5), o presidente do Sindicato Rural de Toledo, Nelson Paludo. O óbito ocorreu em decorrência da Covid-19 e as complicações dessa doença. Nelson Paludo era casado com Clarice Gaffuri Paludo e deixa dois filhos: Juliano e Jéssica, além de netos gêmeos.

Paludo estava internado desde o dia 4 de junho, sendo transferido para a Unidade de Terapia Intensiva no dia 8. Ele passou pelo procedimento de traqueostomia e apresentava um quadro de estabilidade até a última sexta-feira (2). Na noite de sábado (3), teve piora e passou a ser considerado muito grave. A piora evolui e ele acabou não resistindo, perdendo a vida aos 65 anos.

A perda deixa uma lacuna no setor do agronegócio de Toledo e região. Paludo teve uma expressiva trajetória no Sindicato Rural de Toledo, foi presidente por mais de 25 anos. Sócio desde o dia 19 de outubro de 1978, sendo eleito pela primeira vez na presidência em 16 junho de 2000. A eleição mais recente ocorreu na data de 29 de abril deste ano e a posse foi no dia 2 de junho.

Um dos últimos feitos que envolvem a presidência de Paludo foi o novo prédio do Sindicato Rural – oficialmente, não ocorreu a entrega do local, estava nos planos uma cerimônia, contudo, era aguardada a melhoria no quadro pandêmico. Ele lutou pelo Centro Agropecuário em Toledo e a estrutura da nova sede está localizada no futuro local. O prédio fica em uma avenida ampla, em um terreno com cerca de oito mil metros quadrados. A construção de dois pavimentos levou cerca de dois anos para ficar pronta. São 1,2 mil metros quadrados, com destaque para um auditório moderno, capaz de abrigar 150 pessoas.

Paludo sempre destacou que a estrutura tinha como objetivo permitir que o produtor possa encontrar todos os serviços que precisa em um único lugar. O espaço conta com diversas salas com o intuito de abrigar outras entidades representativas de produtores, como de aves e de suínos. A ideia de Paludo também era de unificar as taxas a serem recolhidas pelos associados dos sindicatos e dessas outras entidades.

REPRESENTATIVIDADE NO AGRONEGÓCIO – Nelson Paludo foi um dos principais nomes na discussão para aprovação do novo Código Florestal brasileiro, organizando em Toledo uma das maiores audiências públicas do país, com a presença de mais de duas mil pessoas. Ao longo de sua trajetória, Paludo contribuiu para organização do Plano Safra e do Seguro Rural.

Ele era um dos vice-presidentes da Federação da Agricultura do Estado do Paraná (Faep). Também era titular da Comissão Técnica de Grãos, Fibras e Oleaginosas do Estado, diretor do Agronegócio da Associação Comercial Empresarial de Toledo (Acit), membro do Conselho de Desenvolvimento Econômico de Toledo (Comdet), membro da Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac), membro do Clube do Milho, entre outras atribuições.

FAEP-SENAR-PR – O Sistema Faep/Senar-PR lamentou a morte de Nelson Paludo. “Paludo foi um grande companheiro. Sempre muito atuante, ativo e participativo, ele ajudou em muitas conquistas para a agropecuária do Paraná. Com certeza, o setor, a FAEP e os produtores rurais perdem uma importante liderança, mas que deixa um enorme legado”, destacou o presidente do Sistema Faep/Senar-PR, Ágide Meneguette, em nota emitida pela entidade.

Para o vice-presidente do Sindicato Rural de Toledo, Nelson Gafuri, uma das principais características de Paludo era a habilidade de ouvir e transformar as ideias em ações. “Nelson Paludo foi um líder sindical indiscutível, sempre disposto a ouvir os produtores rurais e assumindo compromissos com o setor e com o sindicato, aos quais ele dedicou sua vida. Foi um grande parceiro e uma pessoa admirável”, afirmou Gafuri.

O vice-presidente da Comissão Técnica de Cereais Fibras e Oleaginosas e presidente do Sindicato Rural de Maringá, José Antônio Borghi, também lamentou a partida do companheiro de lutas. “Muito triste. Era um líder, um representante realmente fiel dos agricultores paranaenses. Um baita de um parceiro, que nos deixa como legado a importância de ser comprometido com as instituições ligadas à agricultura. Acho que nos resta, como companheiros, segurar mais fortemente ainda as bandeiras que ele defendia, tentando prestigiar o legado que ele deixou”.

O presidente do Sindicato Rural de Medianeira, Ivonir Lodi, destacou a atuação de Paludo nas lutas dos agricultores paranaenses. “Nós de Medianeira tínhamos o seu Nelson como um ícone de liderança. Lutamos várias batalhas juntos em prol da agricultura, às vezes em Brasília, como foi o caso do Código Florestal, e ele sempre foi um daqueles que puxou a frente dessas lutas. Ele sempre foi um exemplo. Pessoa muito ponderada e firme quando decidia alguma coisa. Ele vai fazer muita falta no nosso núcleo”, referindo-se ao Núcleo Regional dos Sindicatos Rurais do Oeste do Paraná (Nurespop), do qual ambos faziam parte.

PESAR – “Sinto-me incapaz de encontrar as palavras certas para consolar a dor da Família, mas expresso meu profundo sentimento pelo falecimento de seu esposo, Pai e Amigo Nelson Natalino Paludo. Rezo por ele, para que encontre a paz e para que as boas lembranças permaneçam para sempre, trazendo o conforto necessário neste momento tão difícil. Recebam meu carinhoso abraço”, salientou em nota o secretário de Estado da Administração e da Previdência, Marcel Micheletto.

Da Redação*

TOLEDO

*Com informações da Assessoria