Morre o deputado federal Schiavinato: uma vida dedicada ao serviço público

Foram mais de 35 anos de vida pública e como bandeiras a defesa do setor produtivo do Brasil e o Municipalismo. Engenheiro civil, prefeito de Toledo por dois mandatos (2005-2012), deputado estadual do Paraná (2015-2018) eleito com 61.507 votos, José Carlos Schiavinato trazia consigo o municipalismo e teve uma vida dedicada ao serviço público.

Eleito deputado federal com 75.540 votos, Schiavinato estava em seu primeiro mandato e já havia realizado oito propostas legislativas de sua autoria e participou de 35 votações nominais em plenário. Trajetória interrompida neste 13 de abril de 2021, aos 66 anos, vítima de Covid-19, doença contra a qual lutava há cerca de 40 dias e que já havia levado sua esposa, dona Marlene, há exatamente um mês.

 

HISTÓRIA – José Carlos Schiavinato nasceu em Iguaraçu no dia 12 de setembro de 1954. Chegou em Toledo em 1979, com apenas 24 anos com sua esposa Marlene. Teve dois filhos Rafael (casado com a Andressa) e Leandro (casado com a Marinês) e cinco netos: o Willian, o Daniel, o Samuel, o Gustavo e a Maria. Engenheiro civil formado pela Universidade Estadual de Maringá em 1977 terminou o curso em quatro anos, quando o normal eram cinco. Teve sua primeira grande oportunidade profissional na cidade durante a gestão do então prefeito e ex-deputado estadual Duílio Genari. Virou servidor público e foram anos de dedicação. Foi secretário de infraestrutura, membro atuante na sociedade e um líder.

 

PREFEITO – Como prefeito de Toledo ficou conhecido por ter transformado a cidade. Schiavinato implantou diversos projetos e ações que garantiram a Toledo uma infraestrutura exemplar e à população uma excelente qualidade de vida. Realizou 1808 obras. Gestão pública reconhecida pelo Brasil, tanto que ganhou vários prêmios incluindo o Melhor Prefeito do Paraná em 2010 pela CNM (Confederação Nacional dos Municípios) ficando também entre os melhores prefeitos do Brasil.

Schiavinato também colocou Toledo em lugar de destaque no IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) do Paraná, além de implantar o programa de Estradas Rurais, edificar inúmeras obras de destaque como o Centro Olímpico, o Parque do Povo, o Aquário Municipal, ciclovias, unidades básicas de saúde, escolas, CMEIs, Academias da Terceira Idade, o Parque Temático das Águas, CERTIs (Centros de Revitalização da Terceira Idade), Universidade Tecnológica do Paraná, 2470 unidades habitacionais, inicio do Hospital Regional, dois centros da Juventude, busca dos financiamentos internacionais BID e AFD, entre tantos outras obras

Schiavinato foi um dos fundadores e membro do Conselho Curador da Fundação Municipal de Ensino Superior de Toledo (Fumest), a entidade mantenedora da então Facitol, o embrião da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste); fundador e presidente da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Toledo (Aeat); inspetor e conselheiro do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura do Paraná (Crea/PR); membro titular dos Conselhos de Desenvolvimento de Toledo, da Fundação para o Desenvolvimento Científico e Tecnológico de Toledo (Funtec) e Emdur; gerente de operações dos projetos Cura, Produrb, Pedu e Paraná Urbano em Toledo; Presidente da Associação dos Municípios do Oeste do Paraná (AMOP); vice-presidente da região Sul da Frente Nacional de Prefeitos (FNP).

 

DEPUTADO ESTADUAL – Com esse histórico, a população do Paraná deu o seu reconhecimento através dos 61.507 votos em sua primeira investida como candidato a deputado estadual. Ele foi o 14º mais votado dos 54 eleitos, sendo que apenas em Toledo obteve 39.563 (55%) votos, além de ter obtido votos em muitos outros municípios.

Como deputado estadual, manteve sua postura séria, técnica e comprometida, com uma atuação municipalista. Sempre atuante, produtivo e responsável, Schiavinato foi um dos deputados com maior presença nas sessões e foi o que mais apresentou Projetos de Lei nesta legislatura. Ao todo foram 199 Projetos de Leis, sendo que 31 viraram Leis.

Conhecido por acordar muito cedo, trabalhar intensamente e ser municipalista, Schiavinato foi um deputado atuante. Além de legislar e vistoriar as obras públicas, percorreu 104 municípios e ajudou que as ações do Governo do Estado chegassem a quem necessita: a população das cidades. Ao todo viabilizou mais de R$ 350 milhões de ações aos municípios que representou.

Schiavinato realizou um mandato mais próximo às prefeituras e à agricultura paranaense, pois é um profundo conhecedor do processo de elaboração, encaminhamento e execução de projetos, fontes de recursos estaduais e federais e das potencialidades e necessidades dos municípios.

 

DEPUTADO FEDERAL – Na gestão pública, Schiavinato buscou o pacto federativo, para a melhor distribuição dos tributos aos municípios; auxiliou para um amplo processo de ajuste fiscal através da redução do gasto público; apoiava a implantação de um programa de governo para reduzir a carga tributária e implantar a desburocratização na arrecadação e sempre foi favorável às medidas anticorrupção.

Também tinha como bandeiras:

– Auxiliar o Governo Federal a diminuir a máquina pública;

– Ser favorável à Reforma Administrativa;

– Apoiar a Reforma Tributária;

– Defender a abertura econômica.

 

Na Agricultura, o deputado federal auxiliou na implantação de um programa nacional de apoio ao pequeno e médio produtor rural, incluindo a redução dos tributos federais na aquisição de equipamentos; fomentou um programa nacional de parceria com o homem do campo para pavimentação de estradas rurais a baixo custo e acompanhava constantemente todos os assuntos que envolvam o agronegócio.

Além disso, Schiavinato auxiliava na busca de novas iniciativas para melhorar a cadeia produtiva de orgânicos e políticas de aquisição direta da produção dos pequenos produtores para a merenda escolar com a implantação de cozinhas sociais nos municípios. Também fez a defesa da renegociação de dívidas dos homens do campo e apoiava as ações de combate às invasões de propriedades.

Schiavinato defendeu a política clara para o fortalecimento do cooperativismo, incentivava a bacia leiteira e as políticas especiais à agricultura familiar.

 

Na Infraestrutura, o deputado federal teve como bandeiras:

– Buscar a conclusão da duplicação da BR 163 entre Marechal Cândido Rondon até o Rio Iguaçu e a continuidade até Guaíra;

– Trabalhar para a duplicação da BR 277;

– Trabalhar pelo projeto da duplicação da BR 272, entre Francisco Alves (PR323) e Guaíra;

– Acompanhar todos os procedimentos para implantação do Aeroporto Regional do Oeste do Paraná.

 

No Desenvolvimento, Schiavinato defendia que os royalties da Itaipu permanecessem com os municípios da nossa Costa paranaense. Também buscava definições para que os investimentos excedentes da Itaipu sejam no Estado do Paraná. Além de estimular as vocações regionais para o desenvolvimento; lutar pela desburocratização e estimular a entrada de novas empresas no mercado e auxiliar a criação de polos tecnológicos.

 

Na Saúde, defendia a maior participação do Ministério da Saúde na aquisição de equipamentos para hospitais públicos e filantrópicos; trabalhava para a criação de centros regionais de especialidades para atendimento médico nas áreas de clínica médica de especialidades, pediatria e cirurgias e defendia a expansão e o fortalecimento dos Centros de Atenção Psicossocial (CAPS), Serviços Residenciais Terapêuticos e Unidades Psiquiátricas em Hospitais Gerais.

Schiavinato ainda tinha como bandeiras: lutar pelo aumento dos recursos do orçamento anual do SUS para a Saúde Mental, defendendo a inclusão das ações na Atenção Básica e a implementação de uma política de atenção integral aos usuários de álcool e outras drogas; trabalhar para incrementar os processos de transplantes de órgãos no interior do Paraná; defender o reequilíbrio da tabela do SUS e o fortalecimento da rede filantrópica hospitalar; lutar pela expansão do SAMU.

 

Na Educação, o deputado federal trabalhava por novas iniciativas de Governo para o Ensino Fundamental e para o Ensino Médio profissionalizante. Ele tinha como objetivos: auxiliar para uma maior agilidade federal em expandir creches nos municípios, aumentando a oferta de vagas no Ensino Infantil; defender a implantação de professor de educação física pela União para o Ensino Fundamental; trabalhar para o incremento do ensino profissionalizante e o aumento de escolas técnicas e lutar pela criação de bolsas-auxílio, visando o acesso e a permanência dos jovens no Ensino Médio.

 

No Desenvolvimento Social, Schiavinato estimulava as ações culturais e esportivas nos municípios e defendia a consolidação da Política Nacional de Atenção Integral à Saúde da Mulher. O Deputado Federal também incentivava a participação igualitária de homens e mulheres nos espaços de decisão para o fortalecimento da democracia e apoiava a aprovação da Proposta de Emenda Constitucional da Juventude.

Defender políticas públicas visando uma rede de proteção social para os jovens; apoiar programas e projetos de proteção à família e à mulher e defender a família com o posicionamento firma contra o aborto também foram as suas bandeiras.

Com a morte de Schiavinato, quem deve assumir o cargo e é o ex-chefe da Casa Civil do Paraná Valdir Rossoni.

 

A DOENÇA – Infelizmente, o Brasil foi acometido pela pandemia e teve tirado a vida de muitas pessoas. Pessoas importantes e amadas, entre elas, o deputado Federal José Carlos Schiavianto. Ele estava internado em Brasília para tratar da contaminação pela Covid-19. No dia 3 de março, ele deu entrada no hospital e no dia 10 daquele mês foi transferido para uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI). O vírus já estava inócuo. Mesmo assim, conforme boletim, a situação era considerada grave devido as consequências provocadas pelo coronavírus.

O último Boletim foi publicado no dia 8 de abril e trazia a informação que Schiavinato havia passado por mais um procedimento para a desobstrução das vias biliares. Além disso, ele estava recebendo medicação para uma nova infecção. O pulmão seguia sendo a preocupação da equipe médica.

Infelizmente, na noite de terça-feira (13), o deputado Federal e eterno prefeito de Toledo não resistiu as complicações da Covid-19; ele teve falência de múltiplos órgãos. Marlene Schiavinato, sua esposa, faleceu no último dia 12 em Brasília, onde tratava um câncer e também contraiu a Covid-19.

 

Da Redação*

TOLEDO

*Com informações da Assessoria