Município inicia tratativas para ampliar serviços de inspeção animal

Em um cenário em que a demanda por proteína animal cresce exponencialmente em todo o mundo (sobretudo na Ásia), grandes produtores como o Brasil têm um papel fundamental para a segurança alimentar de vários países. A maioria dos que importam nossa carne exigem, entre outros procedimentos, o selo de inspeção animal emitido pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Com a produção e exportação dos frigoríficos crescendo em proporção maior que o das contratações de novos auditores, o órgão está permitindo que os demais entes federativos (estados, Distrito Federal e municípios) assumam este serviço em relação ao abate de carne suína, bovina e de aves por meio de convênio. Esta mudança nos procedimentos foi o assunto do encontro realizado na manhã desta quarta-feira (14) na Sala de Reuniões do Gabinete do Prefeito com executivos da Brasil Foods S/A (BRF).

A empresa, por sinal, é uma das principais interessadas em um futuro convênio entre Prefeitura de Toledo e o Mapa, pois assim o município poderia ampliar a capacidade dos serviços de inspeção animal e oferecer segurança sanitária e jurídica para a BRF e demais empresas do ramo. “Com as restrições de pessoal do ministério e como a produção só pode ser certificada com o auditor in loco, estamos limitando nossa produção para dois turnos e só de segunda a sexta. Se o município estiver autorizado a fazer este procedimento, com uma equipe mais ampla, poderemos criar mais um turno e seguir trabalhando nos fins de semana. Demanda e capacidade operacional para ampliar o abate, nós possuímos”, destaca o diretor de Relações Governamentais da BRF, Rafael Santos. 

Para reforçar seu argumento, Rafael, que participou virtualmente da reunião, pontuou que a experiência está sendo posta em prática em alguns municípios do Brasil e de forma bem-sucedida. “Recentemente, o ministério concedeu essa autorização para duas prefeituras do Oeste de Santa Catarina: Herval d´Oeste, que possui um frigorífico nosso de suínos; e Capinzal, onde a BRF abate aves. Portanto, o caminho existe e Toledo pode trilhar por ele. Além de aumentar nosso faturamento, poderemos gerar ainda mais empregos, o que propicia benefícios para toda a comunidade”, salienta.

Viabilização

O prefeito Beto Lunitti ficou empolgado com a notícia e disse que estudará meios de viabilizar o convênio com o Mapa para realizar este serviço para os frigoríficos instalados em Toledo. “O ministério exige que a inspeção animal seja realizada por médicos veterinários, profissionais que não temos em quantidade suficiente em nossos quadros. Temos que estudar a melhor forma de fazermos estas contratações dentro da lei, o que talvez dependa de aprovação legislativa caso seja necessário criar estes cargos. Se puder ser via PSS [Processo Seletivo Simplificado], o processo pode ser menos complexo. Enfim, seja qual for o trâmite, vamos fazer o que é possível para viabilizarmos a ampliação deste serviço”, garante.

O secretário de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Diego Bonaldo, observa que a ampliação dos serviços de inspeção animal realizados pelo município representa um grande avanço, apesar de ainda não ser a solução ideal. “O Brasil é um dos poucos países do mundo onde a fiscalização no abate de suínos, aves e bovinos é feita pelo Estado. Nas principais economias do mundo existe o autocontrole, isto é, a própria empresa, maior interessada em manter a qualidade da sua produção, fica responsável por cada etapa do processo, sem onerar o governo, situação que já ocorre com as indústrias que processam e comercializam carne de peixe, mel e ovos”, defende.

Rafael observa que a ampliação da capacidade produtiva da unidade local da BRF é fundamental para o sucesso do plano de expansão da empresa. “Dos R$ 292 milhões que a Brasil Foods planeja investir nos próximos anos, R$ 147 milhões virão para Toledo, onde a planta de empanados e o setor de recebimento de grãos serão ampliados”, destaca. 

O diretor de Relações Governamentais da BRF contou com o apoio dos seus colegas, que participaram do encontro de forma presencial: os gerentes locais nas áreas industrial (Giovani Lazzarin), agropecuária (Antônio Viscondi) e de manutenção e engenharia (Mário José Appi). Por sua vez, Lunitti e Bonaldo foram acompanhados pelo vice-prefeito Ademar Dorfschmidt e dos secretários de Planejamento (Neuroci Antônio Frizzo) e da Fazenda (Jadyr Cláudio Donin), e do diretor de Desenvolvimento Agropecuário e Abastecimento, João Luis Nogueira. 

Demais assuntos

Aproveitando o encontro com os executivos, dois secretários pediram encaminhamentos a outros setores da BRF. As demandas foram prontamente anotadas e houve o comprometimento por parte da empresa em respondê-las em breve . 

O titular da Fazenda solicitou que o setor responsável da empresa encaminhe para o setor de Arrecadação os arquivos das notas fiscais emitidas a produtores de Toledo. “Atualmente, cada documento que chega até nós precisa ser digitado manualmente. Com esse envio, será possível realizarmos a inclusão destes no sistema de forma mais rápida”, explica Donin. 

Bonaldo, que também responde pela Secretaria do Desenvolvimento Econômico e Tecnológico, de Inovação e Turismo, pediu um feedback sobre quantas pessoas encaminhadas pela Agência do Trabalhador foram efetivamente contratadas pela BRF. “Mudamos nossa forma de encaminhar candidatos para as vagas em aberto. Em vez de irem até o órgão, preencherem um formulário e, a partir disso, seguir todo o processo, agora basta entrar em contato via WhatsApp e, com as informações dadas pela nossa equipe, eles vão direto até a empresa. Só que, com isso, estamos ‘às cegas’, sem saber quantos trabalhadores que encaminhamos atingiram seu objetivo. Se o Recursos Humanos daqui puder nos informar sobre isso, podemos medir o alcance e a qualidade da nossa atividade”, solicita.

Da Prefeitura de Toledo-PR