NAE e Gaat retomam gradativamente atividades presenciais

Desde março do ano passado, os trabalhos do Núcleo de Apoio Especializado (NAE) e do Grupo de Apoio à Adoção de Toledo (Gaat) da Comarca de Toledo tomaram outra formação devido a pandemia. Em novembro deste, de maneira gradativa as ações voltaram a acontecer de maneira presencial.

“Tivemos dois eventos importantes em novembro”, cita a assistente social do NAE, Rita Adriana Chicarelli Ruiz. “O primeiro foi realizado no tribunal do júri do Fórum, com a presença dos pretendentes a adoção que participaram dos encontros online dos anos de 2020 e 2021 – contamos com a presença de 50 pretendentes (casais) e alguns solteiros”.

Rita explica que o encontro foi de preparação, divulgação de informações, troca de experiências reforçando entre eles a cultura da adocao. O evento aconteceu no dia Mundial da Adoção – 9 de novembro – e a data foi lembrada com relatos sobre os avanços que ocorreram nessa área nos últimos tempos.  Além disso, houve o depoimento de duas famílias que fizeram adocao compartilhada.

O outro evento foi organizado pela 20ª Regional de Saúde e contou com a presença de representantes do município que integram a regional, além da participação de equipes do judiciários de outras comarcas.  O objetivo foi capacitar os servidores em relação do projeto ‘Um outro destino’ que aborda a entrega consciente em adoção, explicando como é o funcionamento na comarca de Toledo, o fluxo, a legislação, o direito da gestante e do bebê a entrega bem como a preservação do sigilo.

“Considerando que esta é uma demanda que surge no cotidiano dos

profissionais de saúde, principalmente os atuantes na atenção primária em saúde e rede hospitalar, a 20ª Regional de Saúde em parceria com o NAE, Vara da Infância e Juventude da Comarca de Toledo com o Conselho de Supervisão dos Juízos da Infância e da Juventude do Paraná (CONSIJPR), promoveu a capacitação que buscou contribuir junto aos profissionais que atuam em diversas áreas e instituições para que possam conhecer a lei e garantir os direitos das gestantes, seguindo de maneira correta  e esclarecer adequadamente, em eventuais questões que apareçam no cotidiano profissional que envolvam dúvidas sobre  a entrega legal de crianças para adoção, sempre priorizando o melhor interesse e a proteção integral da criança”, explicou a chefe de Divisão de Gestão em Saúde, Andriele Gerardi, ao acrescentar que um outro objetivo é que todos os municípios e comarcas que compõe a 20ª RS se estruturem para formar o serviço com protocolos.

OUTRO DESTINO – ‘Um Outro Destino – A entrega consciente para a adoção’ é o nome de um projeto que acontece na Comarca de Toledo. A iniciativa tem o objetivo de tentar impedir situações de abandono, de aborto, de infanticídio e permitir que essas crianças possam ter um lar acolhedor. Infelizmente, a pandemia também interferiu nos trabalhos da Comarca o que refletiu diretamente nas ações do projeto.

A implantação do projeto na Comarca de Toledo ocorreu no ano de 2018. No ano inicial, duas gestantes em acompanhamento optarem pela entrega legal; em 2019, outras duas. Já no ano passado, ocorreram seis entregas – possível reflexo das capacitações realizadas em 2019 – também tiveram casos em que algumas gestantes que vieram encaminhadas pelo serviço de saúde – durante o processo de acolhimento com suporte psicológico – aceitaram a gestação e ficaram com o bebê, visto que o intuito do projeto é evitar o abandono físico e afetivo.

“Com as capacitações realizadas em novembro é possível marcamos o retorno das ações presenciais”, declara o juiz da Vara da Infância e da Juventude da Comarca de Toledo, Rodrigo Rodrigues Dias. “É fundamental que os profissionais da área da saúde, aqueles que prestam os atendimentos e contato direto com as gestantes que estejam bem informados diante das dúvidas delas, para que recebem as informações concisas em relação ao caminho legal que elas podem seguir”, destaca.

Da Redação

TOLEDO