Natal: uma data em que o amor e a solidariedade se encontram

Quando o Natal se aproxima, o espírito solidário costuma se revigorar. A data sensibiliza as pessoas criando um cenário que deveria existir durante o ano inteiro. Para aqueles que querem deixar os festejos natalinos mais felizes para outras pessoas, uma iniciativa da Embaixada Solidária é a alternativa para conciliar a boa vontade em querer colaborar e fazer a diferença na vida de muitas pessoas.

Uma das colaboradoras da Embaixada Solidária é a investigadora de Polícia da Delegacia da Mulher de Toledo Ana Verginia Brinker. Ela confecciona enfeites natalinos para decorar a árvore da entidade. “Os nossos enfeites terão muitas cores e as nossas memórias. Com um recurso pequeno, os produtos foram produzidos com materiais recicláveis”.

Latas decoradas, coloridas e com imagens dos momentos vividos pela Embaixada Solidária são elaboradas. Outro enfeite natalino é a guirlanda. “Nós queremos um Natal, mas com a ‘cara’ da Embaixada: alegre e com histórias de muito amor. Os enfeites são simples; porém eles são produzidos com muito amor”, afirma Ana ao complementar que possui o hábito de realizar peças artesanais com a sua filha e a sua neta. “É um momento nosso, de parceria e de criatividade. São as nossas memórias afetivas”.

Ana enfatiza que ama o Natal. “A árvore de Natal é montada com a participação da família. Nós fazemos bolachas, ‘maratonamos’ filmes de Natal e esperamos ansiosos a véspera de Natal. Data em que reunimos nossa família, oramos juntos e agradecemos a Deus por todas as bênçãos que recebemos. Tenho minhas melhores lembranças de infância nos Natais que passava na casa de meus avós Werner e Elza Zielasko, que faziam de tudo para que as netas tivessem sempre natais cheios de magia e muito amor. Eu tento repassar isso aos meus filhos e netos”.

CULTURA – O ano de 2020 está sendo desafiador. Para a investigadora, a família é o suporte para os dias difíceis e a melhor companhia na alegria. “A valorização da família, os amigos, a empatia e a solidariedade são fundamentais para este momento”.

Ana salienta que os irmãos que encontramos pela vida também são suportes para os dias mais difíceis. Ana recorda que conheceu o trabalho desenvolvido pela Embaixada Solidária por meio da jornalista e voluntária da entidade Edna Nunes. “Lembro que foi no casamento do seu Paciência e da dona Dilma. Eu fui a responsável pela decoração. Foi amor à primeira vista, tanto pela Edna quanto pela Embaixada. Desde então sempre que posso auxílio nos trabalhos. Amo a Embaixada e tudo que ela proporciona para os assistidos e os voluntários”.

Ela destaca que sempre gostou de assuntos ou temas relacionadas a África, ao povo negro. “A Embaixada Solidária me deu a possibilidade de conviver, aprender mais sobre essa cultura e outros povos que fazem parte da nossa casa. É uma experiência maravilhosa, da qual sou a maior beneficiada”.

MULTIPLICAÇÃO – Uma experiência de vida está sendo o ano de 2020. Certamente, ele será lembrado por muitas pessoas. A voluntária Edna Nunes comenta que em 2020 conseguiu compreender a multiplicação do pão. “Os voluntários multiplicaram uma máscara em 13 mil; um litro de álcool em gel em 200 litros e um sabonete em dois mil, enfim. Nós montamos uma mesa solidária e ela nunca se esvaziou”, pondera Edna.

Ela acrescenta que as pessoas são solidárias com as causas que envolvem estrangeiros ou brasileiros. “Na pandemia, a população se mobilizou. Doações foram realizadas e as pessoas pensavam no outro em seu integral, em sua dignidade. Perfume, esmalte, batom ou hidratante corporal foram doados. O poder de multiplicar está em nossas mãos”.

De acordo com Edna, muitas pessoas que nunca trabalharam em um projeto voluntário envolveram-se neste ano. “O mundo está na porta de nossa casa e conseguimos fazer algo. Existe uma coisa forte em poder mudar o mundo de alguém. Toda a semana recebemos voluntários novos. É muito lindo. A cada nova bandeira erguida as pessoas vão se sensibilizando e constroem um mundo melhor”.

Mas, a voluntária que já viveu momentos intensos, de amor e alegres acompanhou atendimentos tristes. “Enterrei uma das nossas atendidas; vivi a solidão ao entregar um donativo ou receber a doação. Não pude abraçar para agradecer. Faltou esse afeto, porém ele foi substituído pelo carinho nas cartinhas escritas ou nas mensagens pelo WhatsApp”.

NATAL – Ah! O Natal! Uma data alegre para compartilhar emoções, carinho, bondade e afeto. Uma data para refletir o significado bíblico. Para mais uma vez nascer atos de amor. E, o Natal Solidário da Embaixada Solidária certamente reúne tudo isso. A sua organização está em andamento.

Conforme Edna, o objetivo é unir todos os povos e permitir que em um ano tão difícil, possamos celebrar a esperança e o renascimento. Mas, também não poderia faltar a árvore e tudo o que o Natal proporciona. “Quem puder doar enfeites, doces ou brinquedos. Tudo está sendo arrecadado”.

O Papai Noel e a sua companheira Mamãe Noel serão haitianos e vão alegrar o dia das famílias. Em 2020, a Embaixada Solidária vai atender crianças de Toledo e Cascavel. Edna comenta que a entidade também está arrecadando alimentos para a confecção de uma cesta básica. Mais informações pelos números (45) 9 9935-3486 ou (45) 9 8819-5051.

E a investigadora Ana, aquela que está auxiliando na confecção de enfeites para a árvore, ela comenta que “neste Natal a gente não se prenda a presentes materiais, que a gente valorize a comida na mesa, o teto que nos abriga, a companhia que nos faz bem, o abraço e o beijo com carinho e os sons das risadas daqueles que amamos. “Somente quando todos os seres forem agraciados com isso e que seremos felizes de verdade. Eu acredito em um mundo com mais amor e é isso que me motiva todos os dias. Eu quero um mundo mais justo e amoroso para meus filhos e netos”.

Da redação