Novos leitos no PAM devem ampliar atendimento a pacientes com diagnóstico para Covid-19

Diante da ampliação do atendimento aos pacientes sintomáticos de Covid-19 no Pronto Atendimento Municipal (PAM) Doutor Jorge Nunes – Mini-hospital -, a Central de Especialidades passará a atender na Unidade Básica de Saúde (UBS) Vila Paulista a partir desta quarta-feira (3). As consultas desta terça-feira (2), assim como as da última segunda-feira, serão remarcadas.

O aumento no atendimento diário no PAM aconteceu a partir do dia 20 de fevereiro. Contudo, no último dia 22, a equipe atendeu 340 pacientes; no dia 23 de fevereiro chegou a 322 atendimentos e no último domingo (28) foram 320 pacientes atendimentos no PAM.

De acordo com o diretor geral da Secretaria de Saúde, o médico Fernando Pedrotti, ao comparar esses dados com a média de atendimento de 1º a 19 de fevereiro o atendimento no Pronto Atendimento Municipal teve um acréscimo de 30 a 34%. Com essa alteração na estrutura, a Secretaria vai abrir aproximadamente oito leitos. Atualmente, o Pronto Atendimento Municipal conta com 35 leitos.

Pedrotti explica que a equipe vai separar os corredores da Central buscando dar maior conforto para os usuários e melhor condição de trabalhos aos profissionais da Saúde. “Com a saída dos consultórios da ala da frente do PAM, a Secretaria vai conseguir disponibilizar os consultórios para colocar leitos, especialmente os de suporte e para a atenção aos pacientes Covid-19. Neles, nós temos gases instalados”.

O diretor esclarece que a Secretaria vai abrir uma segunda sala de estabilização e emergência. “O objetivo é acompanhar os pacientes mais graves e, especialmente, com a dificuldade para acesso a leito de UTI Covid-19. Com isso, os pacientes permanecem mais tempo no PAM. Entendemos que se faz importante a equipe ter adequado a situação”. A nova estrutura deve entrar em funcionamento nos próximos dias.

MUDANÇAS – Ele complementa que a medida busca ampliar leitos de monitoramento ou estabilização enquanto não sai a vaga hospitalar. “Com essa medida conseguimos ampliar e estar preparados em havendo um aumento neste perfil. Não existe o estudo para a abertura do Hospital de Campanha. A experiência nos mostra que leitos de enfermaria não são a nossa maior dificuldade”.

Pedrotti ainda destaca que os profissionais do PAM estão cansados e, de certa maneira, indignados. “Os trabalhadores percebem que a sociedade não tem adotado os cuidados para evitar a proliferação do novo coronavírus e cria sobrecargas no serviço. Eles mantém o compromisso com a população e estão dando o seu melhor”.

A Secretaria de Saúde está reforçando as equipes. “Realizamos uma chamada do Processo Seletivo Simplificado e, nesta terça-feira (2), deve haver a abertura de um novo processo.

Da Redação

TOLEDO