Numape realiza programação 16 Dias de Ativismo a partir do dia 20 de novembro

Por conta da pandemia da Covid-19, neste ano, todas as atividades preventivas do Núcleo Maria da Penha (Numape) Toledo acontecem na modalidade virtual, por meio de vídeos, lives, webnários e publicações nas redes sociais do projeto. Apesar do retorno às atividades presenciais na Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), campus Toledo, os 16 dias de ativismo serão feitos, principalmente, pelas redes sociais com a divulgação de informações sobre o Numape e sobre as temáticas relacionadas aos direitos da mulher e a prevenção das violências de gênero que atingem as mulheres dentro e fora de casa.

O tema da campanha do Numape é “Sobreviver é mais importante que permanecer” essa é uma frase da poeta Ryane Leão que sintetiza o dilema enfrentado pelas mulheres em situação de violência. “É por meio dessa frase que queremos provocar uma reflexão sobre como as mulheres cotidianamente são expostas às situações de violência, assédio e agressão e se veem sobrevivendo às situações que podem levá-las a vitimização letal do machismo: o feminicídio”, declara a cientista social Camila Alves, integrante do Numape Toledo.

Como um projeto comprometido com a sensibilização das mulheres e homens, Camila enfatiza que o trabalho da equipe é fortalecer as mulheres. “Para que elas saibam que há vida possível longe das agressões verbais e físicas que elas sofrem de seus companheiros, familiares, amigos, patrões e demais indivíduos que possam agredi-las e discriminá-las por serem mulheres”.

A partir desse eixo temático, as atividades irão articular os temas transversais da campanha que são: o combate ao machismo, racismo, LGBTfobia e todas as formas de opressões que impedem as mulheres de viverem livre da violência e acessarem seus direitos. “Também falaremos sobre diversidade, a Saúde da mulher, os Direitos Humanos e como os homens podem ser agentes de transformação da cultura machista que também impede que eles possam viver plenamente todas as suas potencialidades como sujeitos”, declara a cientista social.

 

PROGRAMAÇÃO – De acordo com Camila, a partir do dia 20 de novembro, dia da Consciência Negra e data que marca o início das atividades de Campanha dos 16 dias de Ativismo no Brasil, a equipe realizará ações de mobilização virtual em conjunto com as atividades presenciais. “Neste ano, a diferença é que não estaremos reunidos presencialmente em oficinas e palestras nas escolas e serviços de convivência, por conta das medidas de prevenção da Covid-19”.

Camila salienta que palestras virtuais com estudantes da rede estadual serão realizadas, além de visitas aos serviços da Rede de Proteção Social da Comarca de Toledo para distribuir os materiais informativos e conversar com os responsáveis pelos equipamentos, a fim de fortalecer o trabalho intersetorial.

A cientista social explica que o trabalho do Numape sempre foi articulado com a população de Toledo por meio de mobilizações, palestras, oficinas e eventos. “Devido a pandemia, passamos por um processo de adaptação que colocou como central o ativismo digital. Essa forma de ativismo voltada para a circulação de informações nas redes sociais, vem sendo uma estratégia bastante utilizada pelos serviços que atuam nos direitos das mulheres e por movimentos sociais”.

O maior aprendizado da equipe Numape em 2020 foi aprender a utilizar as ferramentas de comunicação digital e dinamizar as formas de acesso à informação para que ela chegue àquelas/es que precisam.

 

ATENDIMENTO – Apesar das transformações causadas pela pandemia, a procura pelos serviços do Numape não diminuiu. De março a outubro deste ano, as atividades foram desempenhadas na modalidade do teletrabalho, realizando atendimentos remotos via Whatsapp e Google Meet.

Desde 26 de outubro, a equipe retornou ao trabalho presencial na Unioeste. A partir desta data, a equipe já realizou cerca de dois mil atendimentos por dia. “Ainda oferecemos o atendimento virtual para aquelas mulheres que não podem comparecer presencialmente ao Núcleo”, comenta Camila.

A procura é grande e a demanda é majoritariamente jurídica. As audiências também estão sendo realizadas virtualmente e o trabalho preventivo segue sendo executado pelas redes sociais com informações postadas nos Facebook e Instagram todos os dias (@numapetoledo).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *