Número de óbitos coloca Toledo na Bandeira Vermelha

A variação do número de óbitos por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) nos últimos 14 dias saltou de seis para 17 óbitos na última semana, um acréscimo de 183%, de acordo com a avaliação da Matriz de Risco referente à semana epidemiológica 18 (SE18/2021), de 2 a 8 de maio deste ano. Somado com os demais indicadores foi um dos principais motivos para o nível de risco sair do nível moderado para alto, enquadrando o município na Bandeira Vermelha.
Esses dados foram apresentados pelo Centro de Operações Emergenciais (COE) de Toledo na manhã de terça-feira (11). No mesmo dia, o Boletim Epidemiológico Coronavírus (Covid-19), fechado às 17 horas, registra quatro novos óbitos, cuja causa foi a enfermidade e ocorreram entre os dias 9 de janeiro e 4 de maio deste ano. Conforme o Boletim, os óbitos chegaram através de retroalimentação do Sistema de Informações sobre Mortalidade.
“O primeiro óbito, ocorrido em 09/01/21, foi de paciente do sexo feminino, 52 anos, a qual se encontrava internada em serviço hospitalar da região metropolitana de Curitiba. O segundo óbito ocorreu em 24/04/21, com paciente do sexo masculino, 42 anos, o qual se encontrava internado em serviço hospitalar do interior do estado de São Paulo. O terceiro óbito foi de paciente do sexo feminino, 77 anos, a qual se encontrava internada desde 26/4/21, evoluindo para óbito no dia seguinte. O quarto óbito ocorreu em 04/05/21, com paciente do sexo feminino, 63 anos, a qual foi internada em 02/04, sendo transferida para leito de UTI no dia 05/04/21”, informa o Boletim.

CASOS – Na terça-feira, 398 pacientes estavam ativos e 177 exames estão sendo analisados. Além disso, 53 novos recuperados foram registrados. O Boletim ainda traz a confirmação de mais 47 casos. Deste total, 16 novos casos foram registrados no Sistema Único de Saúde (SUS), sendo 15 deles confirmados através de exames de RT-PCR (oito femininos e sete masculinos) e um caso através de Teste Rápido (masculino).
No setor de Saúde Privada e Suplementar foram 31 os novos casos, com sete deles tendo sido identificados através de exames de RT-PCR (três femininos e quatro masculinos) e outros 24 casos identificados através de Testes Rápidos (13 femininos e 11 masculinos). Quanto aos internados pela Covid-19, na terça-feira, um total de 62 moradores de Toledo estavam internados em hospitais ou leitos da região, sendo 36 em leitos de enfermaria e 26 em leitos de UTI. Entre os internados em leitos de enfermaria, nove estão no Pronto Atendimento Municipal (PAM) Dr. Jorge Milton Nunes, sendo que um destes está em uso de respirador mecânico e agendada transferência para leito de UTI Covid-19.

OCUPAÇÕES – A taxa de ocupação de leitos de UTI também é motivo de preocupação para os profissionais de saúde de Toledo. Existe uma percepção de que as pessoas com 60 anos ou mais não estejam tão necessitadas de leitos de UTI como antes. A hipótese é que seja resultado do início da vacinação para essa faixa etária. Porém, de forma sutil o número de casos estão voltando a crescer no município nas últimas semanas – SE16/21 (226 casos), SE17/21 (282 casos), SE18/21 (287 casos) – a ponto do sistema hospitalar continuar próximo ao limite máximo de atendimento e ocupação.
Como o Sistema Único de Saúde (SUS) é organizado de forma regional, a ação de outros municípios pode interferir na ocupação de vagas hospitalares na macrorregião. Até a última segunda-feira (10), havia uma demanda reprimida de vagas, sendo que 12 pessoas aguardavam por um leito de UTI e outras 40 aguardavam um leito de enfermaria na região.

Da Redação*
TOLEDO
*Com informações da Assessoria