Número de óbitos mantêm Toledo na Bandeira Vermelha

O momento é de extremo alerta no município. Ao passo que caíram as taxas de ocupação de leitos hospitalares, tanto de enfermaria, quanto em unidades de terapia intensiva (UTI), proporcionando pela primeira vez em meses um “respiro” dos profissionais que atuam na linha de frente, ainda não é hora de comemorar. Uma grande parte das vagas que surgiram no ambiente hospitalar foi em decorrência de óbitos em virtude da Covid-19. 

O sentimento durante a reunião ordinária do Centro de Operações Emergenciais (COE) desta terça-feira (20) era de cautela e esperança. A Matriz de Risco utilizada para verificar o risco de contaminação na semana epidemiológica SE28/2021, entre 11 e 17 de julho, classificou Toledo na Bandeira Vermelha, ou seja, alto risco para Covid-19. 

Indicadores da Matriz de Risco

Ao comparar com os últimos 14 dias, a SE/28/2021 apresentou uma estabilidade na taxa de ocupação de leitos de UTI adulto, 86,29% no período, enquanto a ocupação de leitos de enfermaria adulto houve uma pequena queda (53,95% de ocupação); aumento de 29% na variação de óbitos; não houve variação de casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG); e a taxa de positividade fechou em 18,65 %, sendo que na semana anterior esse indicador era de 29,68%. 

Até a data desta segunda-feira (19) eram 441 pacientes ativos, sendo que 90 casos restavam em análise. Na semana SE28/2021 foram registrados 352 novos casos e nove óbitos. Os profissionais observaram uma frequência menor de pacientes internados e também uma gravidade menor nos casos internados. 

Uma análise preliminar evidencia o resultado da diminuição de óbitos em pacientes acima de 60 anos e a hipótese mais defendida que seria em função do avanço na vacinação. Uma análise realizada por técnicos da 20ª Regional de Saúde em conjunto Conselho Regional de Secretários Municipais de Saúde (20º CRESEMS) com base no Notifica Covid, demonstra mês a mês a evolução do número de casos e do número de óbitos nas faixa etárias acima e abaixo dos 60 anos. 

O número de casos na população acima dos 60 anos na 20ª RS chegou ao pico no mês de março (2569) e até o dia 16 de julho, registra o menor índice (166). Proporcionalmente inverso a esse gráfico, está outro com o número de óbitos, onde março também chega ao ápice com o registro de 140 óbitos e julho, até o momento registra o menor indicador, com 17 casos que evoluíram ao óbito. 

Essa mesma variação não é percebida no número de casos e óbitos em pessoas que não completaram os 60 anos. Isso reforça os argumentos que tornam as diferentes vacinas para Covid-19 a melhor esperança de todos para o enfrentamento da pandemia. Em Toledo, quase 25 mil pessoas estão protegidas pela vacina (já receberam a segunda dose ou tomaram a vacina de dose única). Isso corresponde a praticamente um quarto das pessoas que serão vacinadas no município. 

A preocupação dos profissionais de saúde é que antes mesmo da maioria das pessoas obterem a imunização por completo haja um relaxamento dos cuidados de proteção. Portanto, é fundamental entender que ainda é necessário usar máscara, manter o distanciamento social, usar álcool 70% e só sair de casa se for realmente necessário. Adotando essa postura, não deixando de se cuidarem, dias melhores virão num futuro não tão distante.

Da Prefeitura de Toledo-PR