Olinda Fiorentin vai compor Comissão de Saúde e sinaliza intensa fiscalização

Uma das principais bandeiras do primeiro mandato e o maior desafio dos próximos quatro anos. Assim a vereadora Olinda Fiorentin (PSD) resumiu sua participação na Comissão de Saúde e Seguridade Social (CSS), definida em uma reunião que foi realizada na manhã de quinta-feira (21) na Câmara de Vereadores de Toledo. A vereadora lidera o bloco “União por Toledo”.

A vereadora que já participou de diversas outras comissões em seu primeiro mandato, inclusive da CSS, que presidiu. Lá teve sempre uma posição decisiva nas ações fiscalizatórias. Usou a tribuna incontáveis vezes para sensibilizar e advertir o Poder Executivo e instituições que promovem a saúde pública. “O diálogo é essencial e de uma importância incalculável, mas sempre que for preciso lembrar que ter um atendimento digno, sem custo e com qualidade é um direito da população não me ausentarei dos debates, contribuições e forte defesa”, conta.

Logo após assumir a cadeira na Comissão de Saúde, a vereadora lembrou que o período atípico, causado pela pandemia vai exigir mais dos líderes eleitos pela população. “A Covid-19 apenas explicitou o caos que o Sistema Público vive e que apenas se agravou com essa crise mundial. Falta de leitos, desvalorização dos profissionais, pesquisadores, ausência de investimentos e lentidão são os sintomas de uma outra epidemia que a nossa população enfrenta faz muito tempo”, analisa.

“Eu espero que possamos atravessar esse período muito mais atento que estávamos. Que nossa defesa da saúde pública possa ir além da atenção ao paciente, mas que possamos olhar o todo e para todos. Entender que a saúde do paciente começa muito antes de que seja um número em uma longa lista de espera”, defende.

MULHERES – “Entendo que o ser humano é a razão pela qual todos lutamos por um mundo melhor e mais justo, mas somos nós mulheres que recebemos a missão de gerar a vida de uma forma muito mais intensa e pontual. Minha luta será para que o momento da gestação e parto não seja uma aflição para os familiares e a paciente. Eu luto para que nenhuma família precise recorrer para um político na hora de ver seus filhos e mulheres em risco. Isso é função e responsabilidade de uma gestão eficiente, humana digna e extremamente possível”, relata.

HOSPITAL REGIONAL – Olinda Fiorentin reafirmou seu compromisso em não permitir que a sociedade seja convencida que o Hospital Regional é um caso perdido. “Jamais serei convencida que o dinheiro público não cumpra exatamente e com competência a finalidade para qual ele foi confiado e aplicado. A Comissão de Saúde e Seguridade Social não poderá se ausentar de discutir a ampla e bem articulada solução que essa obra pública precisa. Desistir ou fechar os olhos para essa questão espinhosa, porém prioritária não pode estar na lista de opções para Toledo e para o Oeste do Paraná”, afirma.

PARTICIPAÇÃO POPULAR – A vereadora afirmou contar com o apoio da população para que consiga levar para a CSS todos os anseios e propor melhorias na Saúde Pública. Como servidora pública aposentada depois de 30 anos de carreira, também espera que esse canal de diálogo seja ampliado com os profissionais de saúde, um dos elos mais importantes na rede e que contribuem diretamente para a prevenção e o tratamento de saúde.

TOLEDO

Por Edna Nunes