Outubro Rosa: os cuidados durante todo o ano

O mês de outubro está terminando, mas os cuidados com as saúde da mulher não podem cessar. Especialmente neste mês, o mundo volta o olhar à prevenção, diagnóstico e o tratamento do câncer de mama. A campanha de conscientização Outubro Rosa reforça que todo dia é tempo de cuidar das mulheres que amamos.

Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de mama é o mais incidente em mulheres no mundo, representando 24,2% do total de casos em 2018, com aproximadamente 2,1 milhão de casos novos. É a quinta causa de morte por câncer em geral (626.679 óbitos) e a causa mais frequente de morte por câncer em mulheres.

No Brasil, excluídos os tumores de pele não melanoma, o câncer de mama também é o mais incidente em mulheres de todas as regiões. “Todavia, não é a principal doença que afeta as mulheres, sendo ainda as doenças cardiovasculares e infecciosas as mais incidentes”, comenta o médico cancerologista Fabricio Pavia Aguiar.

 

TIPOS – Ele explica que os principais tipos de câncer de mama são o carcinoma ductal e lobular, sendo o ductal o mais predominante. O médico cita que o diagnóstico é feito da mesma forma em todos os tipos através da história clínica e exame físico durante a consulta médica, mamografia e/ou ultrassom de mamas e/ou ressonância magnética das mamas e biópsia.

Aguiar enfatiza que alguns fatores de risco estão relacionados a doença. “A idade, quanto mais idosa a mulher, maior o risco de câncer de mama; história familiar de câncer de mama ou ovário; uso de hormônios sintéticos como estrogênio, progesterona; obesidade; e consumo de bebidas alcoólicas”, complementa.

 

DIAGNÓSTICO – Especificamente, a campanha Outubro Rosa trabalha a conscientização da prevenção e do autocuidado no combate contra o câncer de mama. Neste período, as mulheres são estimuladas a fazer o autoexame, procurar orientação médica sobre a doença, atualizar seus exames periódicos e a cuidar mais de si.

Quando o câncer de mama é descoberto precocemente através das consultas de rotina, maiores as chances de sucesso no tratamento. “Quanto mais precocemente é diagnosticado o câncer, menor a chance da doença ter se disseminado. Portanto, melhores as chances de cura. Quanto menor o tumor, menor é a extensão da cirurgia, o que melhora o resultado cosmético, e mais simples e menos intenso é o tratamento adjuvante como a quimioterapia, radioterapia e endocrinoterapia”, esclarece o médico Aguiar.

 

TRATAMENTOS – O médico cancerologista Fabricio Pavia Aguiar salienta que o câncer de mama só pode ser curado se for possível de ser operado. Caso a doença esteja disseminada, ele acrescenta que não faz mais sentido a cirurgia curativa e o tratamento passa a ser paliativo.

As principias modalidades de tratamento são: cirurgia, quimioterapia pré-operatória ou pós operatória ou paliativa, radioterapia pós operatória ou paliativa, endocrinoterapia pós operatória ou paliativa. “Infelizmente, apesar de todos os esforços e da combinação de tratamentos há chance da doença recidivar nas mamas, linfonodos axilares e em órgãos distantes. E esta chance é pequena em tumores iniciais e pouco agressivos e maior nos mais avançados e mais agressivos”, pontua.

 

OUTUBRO ROSA – O movimento internacional de conscientização para o controle do câncer de mama Outubro Rosa foi criado no início da década de 1990 pela Fundação Susan G. Komen for the Cure. A data é celebrada anualmente, com o objetivo de compartilhar informações e promover a conscientização sobre a doença; proporcionar maior acesso aos serviços de diagnóstico e de tratamento e contribuir para a redução da mortalidade.

“O mês de outubro, tornou-se um importante período de conscientização da população, principalmente das mulheres, no que se refere aos cuidados com a saúde e a prevenção e diagnóstico precoce do câncer, principalmente do câncer de mama. Sabemos que o diagnóstico precoce de muitas doenças pode salvar muitas vidas e poupar muito sofrimento”, finaliza o médico cancerologista.