Parquinho infantil é danificado antes de ser entregue oficialmente à comunidade

Proporcionar diversão e ferramentas essenciais para o desenvolvimento físico, motor, emocional e social para as crianças são objetivos dos parques infantis. Em Toledo, o Poder Público construiu e revitalizou novos espaços nos bairros e também no interior. Entre eles, o equipamento público localizado no Parque Ecológico Diva Paim Barth.

Com investimento superior a R$ 500 mil, todo o espaço está sendo reestruturado e os brinquedos adquiridos são novos. O local ainda não foi entregue pelo Poder Público, porém estava sendo utilizado pela população.

Um fato ocorrido no último final semana deixou muitas pessoas perplexas. Um dos brinquedos que deveria incentivar a inclusão teve uma de suas partes quebradas. Vídeos que circulam em grupos de WhatsApp mostram muitas crianças brincando no equipamento, sendo que o seu limite de peso é menor.

O secretário de Desenvolvimento Ambiental e Saneamento Básico Neudi Mosconi lamentou o ocorrido. “As famílias ou os responsáveis deveriam colaborar conosco. Cada cidadão poderia fiscalizar e denunciar. A estrutura tem um limite de peso; logo os brinquedos não podem ser sobrecarregados. É uma pena que as pessoas abusem”.

Mosconi destacou que a comunidade poderia cuidar e zelar pelo patrimônio público. “O espaço seria entregue nesta semana. Nós tentaremos concertar”, revelou o secretário ao salientar que a consciência deve ser coletiva. “O patrimônio não pertence a Prefeitura, e sim, ao povo. Cabe ao gestor administrar o dinheiro da população. No entanto, cada morador tem as suas responsabilidades de cuidar e preservar os espaços de Toledo”.

INDIGNAÇÃO – Quem estava triste com essa situação era a funcionária pública Marli Bombardelli. “Eu me manifesto enquanto cidadã. Estou indignada com a população. Os anos passam e parece que a sociedade não evolui. É preciso ter respeito. Olhar para si e para o próximo”.

Enquanto servidora de carreira, Marli relatou que muitas pessoas cobram políticas públicas ou projetos dos prefeitos. “Todos eles com as suas equipes possuem boa vontade e tentam fazer o melhor trabalho. No entanto, a população também não colabora. Exemplo é o parque infantil. Ele não foi entregue pelo Poder Público e uma manutenção será realizada. É dinheiro público ‘indo para o ralo’. É uma despesa extra desnecessária”.

Marli complementou que cada cidadão deve ser fiscal. “Registre a denúncia na ouvidoria. Certamente, ela será averiguada pela equipe. A ouvidoria é uma ferramenta essencial para a comunidade. Nós precisamos ‘parar de tapar o sol com peneira’. Nós precisamos ser mais fiscais para que tudo funcione bem. Nós temos direitos, mas também temos os nossos deveres. O povo não sabe viver em sociedade. As políticas públicas são colocadas em execuções, porém o povo não colabora”, lamentou Marli.

Da Redação

TOLEDO