Páscoa amplia movimento em estabelecimentos e estimula pesquisa de preço

Na semana da Páscoa, a procura pelos produtos típicos desta época do ano aumenta nos supermercados e lojas especializadas. A busca é pelos ovos de Páscoa, além dos tradicionais chocolates e alimentos para o almoço da Sexta-feira Santa e para o domingo de Páscoa. Bacalhau, azeitonas, frutas e legumes incrementam as compras da véspera.

Em um supermercado da cidade, o movimento cresceu desde o início da semana. A gerente do estabelecimento Keila Alves de Almeida comenta que a procura pelos itens tradicionais da Páscoa está intensa, principalmente pelos preços competitivos que o local oferece. “O consumidor está pesquisando mais e está nos procurando porque o nosso preço está bom. Não tivemos muito reajustes em relação a 2021 e, por isso, a Páscoa será bem recheada neste ano”.

Ela conta que o estabelecimento manteve o mesmo tamanho da parreira de ovos de chocolate que foi instalada no ano passado, uma aposta para vender tudo e não haver perdas. “Inclusive uma parreira de ovos de chocolate infantis já acabou na metade desta semana, um bom sinal de que o público está comprando mais e vai presentear”.

Para o almoço da Sexta-feira Santa o peixe, em especial o bacalhau, é a estrela da vez. O alimento permite vários processos e brilha em deliciosos pratos. Keila cita que neste ano o estabelecimento investiu em uma linha especial importada, além de peixes frescos. E apesar das oscilações do câmbio, os produtos importados não tiveram muita alteração nos valores em relação a 2021.

“Nós observamos que todos querem investir em uma Páscoa diferente neste ano e o consumidor tem pesquisado bastante. Mas dá para fazer uma Páscoa com os alimentos típicos e de qualidade e sem pesar no bolso”, complementa.

BOA PROCURA – Em outro estabelecimento no Centro da cidade, a gerente Daiane Aline Tavares Kuhn acredita que a flexibilização das medidas da pandemia contribui para o aquecimento das vendas nesta Páscoa. “As pessoas estão viajando mais ou recebendo amigos e familiares em casa. Com isso, as comemorações de Páscoa estão mais festivas e as vendas melhoraram”.

Daiane enfatiza que os preços, tanto de ovos de chocolate quanto de outros itens da cesta de Páscoa, não tiveram muita alteração de preços. E o estabelecimento apostou também na diversidade de marcas e valores, proporcionando opção para todos os bolsos. “Trabalhamos com ovos de chocolate de marca própria e outros marcas também conhecidas do consumidor”, completa.

Em relação a venda do pescado, o supermercado investiu em porções práticas como filé de tilápia e de salmão, além de porções de frutos do mar. “Colocamos uma promoção para a linha do pescado para todos levaram para casa um bom peixe para a refeição em família. E na sexta-feira ainda vamos trabalhar com pratos prontos para facilitar a vida de quem quer pouco trabalho na cozinha”.

Com tantas opções, facilidades e promoções, a gerente Daiane acredita que a pior fase econômica da pandemia já passou e que agora é o momento de recuperar os prejuízos da Páscoa de 2020 e 2021. “Acredito que agora estamos retornando a vida normal com a famílias se reunindo, as pessoas estão presenteando os amigos e os parentes e no comércio nós sentimos o reflexo positivo dessa retomada”.

De acordo com a projeção da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), as vendas no setor voltadas para a Páscoa deverão totalizar R$ 2,16 bilhões este ano, representando um aumento de 1,9% em comparação a 2021. Ainda assim, caso seja confirmada a previsão, o resultado ficará 5,7% abaixo do alcançado antes do início da pandemia da Covid-19, em 2019 (R$ 2,29 bilhões).

Da Redação

TOLEDO