Patente da Unioeste Campus Toledo ganha medalha em evento na Europa

Uma patente desenvolvida pelo Programa de Pós Graduação em Engenharia Química da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), foi premiada em evento internacional. O projeto intitulado 'Essential Oils Extractor With Steam and Carbon Gas Generator' recebeu medalha de ouro na Idea-Expo 2020, na categoria inovação. O evento foi realizado em Hódmezovásárhely, na Hungria de maneira remota, devido à pandemia de Covid-19.

Para o orientador do projeto, professor Camilo Morejon, a premiação evidencia a qualidade dos projetos desenvolvidos dentro da Unioeste Campus de Toledo. A pesquisadora Daniela Bueno, que desenvolveu o projeto como sua dissertação de mestrado sob orientação de Morejon, acredita que essa premiação dê visibilidade à Unioeste e pode aumentar o interesse dos alunos em entrar na instituição, pois eles passam a ver os resultados e o desenvolvimento das pesquisas. “O professor Camilo sempre tentou trazer a união entre o mercado e a universidade; mostrar que os projetos podem gerar frutos muito importantes para a sociedade”, acrescenta Bueno.

Outro envolvido no processo, Jeferson Brauth era aluno da graduação à época e explica que premiações como essa valorizam o ensino público de instituições como a Unioeste. “Este prêmio é fruto do esforço e dedicação de todos, principalmente do professor Camilo”, ressalta. Brauth ainda lembra que a participação no projeto abriu a ele novos horizontes sobre a atuação profissional.

 

PROJETO – Bueno explica que esse projeto foi a sua dissertação de mestrado e que a inovação presente nele foi um equipamento protótipo, para produção de óleo essencial dotado de gerador simultâneo de vapor e gás carbônico.

Bueno explica que os óleos essenciais são produtos muito utilizados no mercado por suas propriedades químicas, que podem ser usados na indústria de cosméticos, na farmacêutica, entre outras. “o óleo essencial é uma matéria prima cara. Para você conseguir extrair um litro de óleo essencial de uma planta, são necessários toneladas de folhas”, explica Bueno. Uma das ideias do projeto, segundo Bueno, era aproveitar o material da poda das árvores dentro da cidade, pois esse material acaba sendo descartado.

Bueno também explica que, para extrair o óleo da planta, existem várias metodologias. Na técnica mais tradicional, por arraste a vapor, a extração acontece a partir da utilização do vapor de água para volatilizar as substâncias presentes na planta. Após essa transformação o vapor, sofre um processo de condensação para que o óleo extraído volte a fase liquida.

Já na extração super crítica, os gases utilizados a partir de uma determinada temperatura e pressão, tornam-se super críticos, podendo agir como solventes. O mais utilizado é o gás carbônico (CO2), pois dentre outras vantagens é um gás barato.

“É um método de extração muito eficiente, mas quando se fala em escala industrial, torna-se caro em virtude do alto custo dos equipamentos para montar o sistema de extração”, argumenta Bueno.

A relação de patentes da Unioeste pode ser conferida na vitrine tecnológica do NIT-Unioeste (www.unioeste.br/nit)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *