Plenária de Usuários do CMST aconteceu ontem

O Conselho Municipal de Saúde de Toledo (CMST) realizou, na noite de terça-feira (23), a 1ª Plenária de Usuários do órgão. O objetivo é garantir a paridade no órgão. Até o fechamento desta edição, a reunião estava em andamento.

O presidente do Conselho Municipal de Saúde, Teomar Roque Jantsh, explicou que as Conferências Municipais de Saúde acontecem a cada quatro anos e o órgão estava com o número insuficiente de conselheiros. “Devemos repor a paridade do Conselho. Nós tivemos desistências de alguns conselheiros e outros não participam das reuniões ou não justificavam a ausência. A Plenária tem a proposta de reorganizar o órgão”.

De acordo com Jantsh, a expectativa é recompor 12 novos conselheiros do segmento usuário na gestão 2020/2024. Participaram como membros da 1ª Plenária de Usuário do Conselho todos os representantes das entidades, órgãos ou instituições do segmento usuário interessadas na construção do Sistema Único de Saúde (SUS) de Toledo.

O presidente do Conselho revela que o cidadão só não poderia ter sido eleito na 15ª Conferência Municipal de Saúde como conselheiro para a gestão 2020/2024. “O órgão precisa dos conselheiros. Sem eles não conseguimos dar andamento em nossas atividades”.

REFLEXOS – Conforme Jantsh, muitos conselheiros se sentem ou se sentiram desmotivados diante dos últimos acontecimentos, como a pandemia, questões internas, reconhecimento do Poder Público ou até mesmo da comunidade. “As pessoas se desiludem, se sentem frustradas diante de alguma situação ou de embates desnecessários”.

O presidente do Conselho Municipal de Saúde de Toledo ainda pontua que existem usuários que decidem participar do órgão para fazer um ‘meio campo político’. “Quando começa a atuar no CMST, eles percebem que alguns assuntos abordados no Conselho são considerados complexos e, por isso, a necessidade de maior dedicação”, afirma Jantsh ao recordar que alguns conselheiros eleitos na Conferência nem compareceram na posse.

Os conselheiros devem cumprir com a lei e, por isso, a necessidade de estabelecer a nova paridade para dar continuidade aos trabalhos do Conselho, pontua o presidente do órgão. “O Conselho possui um cronograma de ações para a Plenária. As inscrições foram realizadas e ao todo foram 29 pré-candidatos”.

Da Redação

TOLEDO