Pouco mais de 20% dos consumidores buscaram quitar suas pendências no comércio entre 2020/21

Em Toledo, 21.197 pessoas físicas ou jurídicas (CPF/CNPJ) estavam com os nomes negativados até o final do primeiro semestre deste ano. O número representa uma redução de 6,62%, comparado com 2020. No ano passado, tinha um total de 22.700 documentos (CPF/CNPJ) negativados. Os dados são do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), no município, por meio da Associação Comercial e Empresarial de Toledo (Acit).

De acordo com o diretor de Produtos e Serviços da Acit Cristiano Rocha – com a colaboração do coordenador do SPC da Associação, Valmeri Boareto -, a redução é consequência da diminuição da atividade econômica, principalmente no comércio, em decorrência da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) iniciada ainda no primeiro semestre do ano passado.

Ao comparar os números totais entre os anos de 2020 e 2021, Rocha explica que a quantidade de clientes que buscaram quitar suas pendências no comércio local apresentou uma redução de 20,20%.

Rocha ainda ressalta que com a redução do número de negativações durante o mesmo período, automaticamente, existe uma queda no índice de quitações e renegociações das dívidas. “Além deste fator, também pode ser reflexo de que o consumidor está com maior dificuldade de condições de pagamento”, afirma o diretor ao mencionar que “os consumidores podem priorizar pagamentos de questões essenciais, como água, energia elétrica, alimentos, entre outros”.

O diretor de Produtos e Serviços da Acit pontua que houve uma diminuição na renda dos trabalhadores, pois muitos deles acabaram perdendo seu emprego entre o ano passado e 2021, ainda diante dos efeitos da pandemia no cenário econômico. “Isso impacta diretamente na quitação de débitos e renegociação de dívidas”.

ECONOMIA LOCAL – Os dados de inadimplência interferem no comportamento da economia local. Conforme Rocha, assim como outros diversos fatores, como taxas de juros e oferta de mercado, os índices da inadimplência sempre devem ser levados em consideração, uma vez que, podem auxiliar no entendimento da situação atual do mercado. “O comércio que vende a crédito precisa estar atento para realizar a análise de crédito mais adequada em cada momento”.

O diretor de Produtos e Serviços da Acit menciona que independente do índice de inadimplência atual do mercado, é de suma importância que a empresa que esteja vendendo no crediário (boleto, cheque, promissória), realize a “Análise de Crédito”. “Ela deve coletar e atualizar as informações do consumidor, realizado consultas do CPF/CNPJ do cliente na base do SPC Brasil, para fins de identificar a capacidade de pagamento deste cliente e assim buscando sempre reduzir o risco da empresa no negócio”, finaliza Rocha ao considerar importante o empresário lembrar da necessidade de se consultar os dados e realizar uma venda segura.

Da Redação

TOLEDO