Prati-Donaduzzi busca faturamento de R$ 4 bilhões em 2027

0 281

Com previsão de atingir R$ 4 bilhões em receita em 2027, a farmacêutica Prati-Donaduzzi lidera o faturamento de medicamentos genéricos no Brasil. Quem conheceu o casal de jovens farmacêuticos, que chegavam da França com o diploma de doutorado embaixo do braço, não imaginava a força e a magnitude que a farmacêutica que eles criaram, literalmente do zero, se tornaria, 30 anos depois, em uma das mais importantes do Brasil.

Carmen e Luiz Donaduzzi sempre foram apaixonados por pesquisas na área de biociências e quando chegaram ao Brasil depois da especialização, começaram a produzir chás e soluções simples em Recife (PE). Em 1993, atraídos por um programa de incentivo do governo do Paraná que oferecia condições especiais para empresários, o sonho da indústria ficou ainda mais forte. No terreno de 5 mil m² doados pela Prefeitura de Toledo, iniciaram os primeiros trabalhos junto com o irmão Arno Donaduzzi e o cunhado Celso Prati. Luiz a frente da administração, Carmen do desenvolvimento da produção, Arno da infraestrutura e do maquinário e o Celso Prati da área financeira.

“Quando construímos o primeiro barracão, saímos pela vizinhança para contratar colaboradores. Batíamos nas casas e perguntávamos para as donas de casa se elas não queriam trabalhar conosco. Após treinamento, começamos a produzir os primeiros medicamentos”, recorda Carmen Donaduzzi, uma das fundadoras da Prati-Donaduzzi. “Em 1999, o governo abriu a possibilidade da fabricação de medicamentos genéricos, e vimos ali uma oportunidade para impulsionar ainda mais o nosso crescimento”, complementa.

Expansão

Dez anos depois, a Prati-Donaduzzi se tornou líder do mercado do governo e para fortalecer sua marca expandiu suas operações para o varejo, vendendo medicamentos para farmácias. Antes disso, 85% de sua receita era exclusiva da venda de medicamentos para o governo, abastecendo principalmente unidades básicas de saúde. Atualmente, essa fatia representa 34% do total.

Com um forte trabalho em marketing para ampliar o reconhecimento, investimentos em pesquisa e tecnologia de ponta e a criação de pontos próprios de distribuição de medicamentos, a Prati-Donaduzzi tornou-se a maior produtora de medicamentos genéricos do Brasil. Isso a colocou no topo do ranking das empresas de medicamentos genéricos que mais faturaram em 2022.

“Para alcançar essa posição, investimos cerca de 5% da nossa receita líquida em pesquisa, o equivalente a aproximadamente R$ 80 milhões em 2023. Temos atualmente 188 projetos em desenvolvimento, que serão lançados no mercado nos próximos anos e em breve ingressaremos no segmento de injetáveis”, revela o CEO da Prati-Donaduzzi, Eder Maffissoni.

“Nós sempre sonhamos grande com a Prati e estamos conquistando cada um desses sonhos. Temos uma visão a longo prazo, de como será a Prati em 2050. E sempre preocupados com responsabilidade social e sustentabilidade. Assim, estamos buscando a cada dia apoiar mais causas que estão interligadas com a missão da Prati-Donaduzzi de levar saúde e bem estar às pessoas”, conclui o CEO.

TOLEDO

Deixe um comentário