Prefeito manifesta posição contrária ao pedágio

A Frente Parlamentar sobre o pedágio no Paraná realizou a primeira audiência pública sobre “O encerramento dos atuais contratos de pedágio e a nova licitação para concessão das rodovias paranaenses por mais 30 anos”. O prefeito Beto Lunitti foi um dos participantes entre as lideranças que discutiram sobre os novos contratos e sobre os melhores critérios para o edital de licitação, que desta vez será negociado na bolsa de valores.  

O evento aconteceu na manhã desta sexta-feira (05) na Associação Comercial e Industrial de Cascavel (Acic) e reuniu lideranças de toda a região. Deputados, prefeitos, vereadores, representantes e lideranças da sociedade civil acompanharam de forma presencial e também online. 

A principal discussão foi sobre o modelo que pretende ser adotado e os presentes recusaram a proposta de outorga, que prevê o pagamento de luvas ao governo federal. A defesa foi para uma tarifa que leve em consideração o menor preço. “Nós não queremos praça de pedágio entre Toledo e Cascavel. Não queremos o modelo de outorga. Queremos o menor preço possível para o cidadão pagar. Que seja pago o preço justo”, afirmou o prefeito Beto Lunitti. 

Ele acrescentou ainda que não quer a simples mudança de local (Cascavel/Toledo para Toledo/Marechal Cândido Rondon), mas defende que não é hora de pensar na expansão da cobertura de pedágios no Paraná. “Primeiro temos que reduzir as tarifas nas praças existentes. Outros interesses entre Governo Federal e Estadual sobre novos trechos devem ser discutidos em outro momento”, frisa Lunitti. 

A proposta que está em discussão amplia a cobertura de estradas pedagiadas de 2.505 quilômetros para 3.527 Kms. Também seriam criadas outras 15 praças de pedágio, passando de 27 para 42. Outras audiências serão realizadas para oportunizar a participação da sociedade e convencer o Governo sobre as melhores alternativas a serem adotadas. A próxima será na cidade de Foz do Iguaçu.

Da Prefeitura de Toledo-PR