Presidente da Comissão Eleitoral do SerToledo destaca a transparência no processo

Os membros da Comissão Eleitoral responsáveis por organizar o pleito do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Toledo (SerToledo) estiveram reunidos nesta semana. Em pauta, a necessidade de decidir os próximos encaminhamentos das eleições.

No primeiro encontro – após a homologação do acordo judicial firmado na Audiência de Conciliação no dia 16 de julho com a participação do juiz de direito Eugênio Giongo – a Comissão Eleitoral definiu os cargos de cada membro na Comissão. Fabiano de Castro Neves foi escolhido como presidente; Celso Luiz Ferreira recebeu a função de ser o vice-presidente e Marcelo Dias Thomaz secretário. Zelário Bremm e João Carlos Padilha são membros da Comissão e eles possuem o direito de voz e voto.

Após essa decisão, de acordo com o presidente Fabiano de Castro Neves, a Comissão Eleitoral convocou uma reunião com representantes de cada chapa com a finalidade de informar o andamento do processo eleitoral. “Nós pretendemos dar continuidade ao processo. Neste momento, todo o encaminhamento jurídico deve ser, novamente, realizado”.

Fabiano pontua que novos prazos foram repassados aos representantes das chapas, caso alguma delas tenha a necessidade de realizar ratificação. Neves cita como exemplos casos de saída de um membro ou até mesmo a reposição. Essa e outras decisões devem acontecer – normalmente – em um prazo de até dez dias antes do início do pleito. As eleições do SerToledo acontecem nos dias 9 e 10 de agosto, segunda-feira e terça-feira, respectivamente.

TRANSPARÊNCIA – O presidente da Comissão Eleitoral Fabiano destaca que o objetivo principal é realizar a eleição mais transparente possível. Segundo ele, independente da chapa vencedora, “o importante é o servidor ter o conhecimento que, após a eleição, quem estará à frente do SerToledo vai representar o seu interesse. O interesse em uma negociação coletiva, acordo trabalhista ou amparos jurídicos e sociais”, pontua.

O presidente da Comissão Eleitoral complementa que geralmente, alguns direitos trabalhistas são cerceados, independentemente do local de trabalho, e cabe ao funcionário público ou de carreira buscar meios para fortalecer o seu Sindicato.

ELEIÇÃO – Cada chapa deve se organizar e fazer a sua campanha. Fabiano salienta que a Comissão Eleitoral somente deverá interferir na parte legal do processo. “Nos dias das eleições – 9 e 10 de agosto – nós queremos urnas saindo e urnas voltando”. Para os dias do pleito estão previstas 36 urnas, sendo 18 no primeiro dia e 18 no segundo dia.

A apuração de votos inicia a partir do momento que a última urna chegar ao Sindicato. “A contagem dos votos deve avançar a noite de terça-feira. Será vitoriosa a chapa com a maioria absoluta dos votos, pois o Estatuto do SerToledo não prevê quórum mínimo”, menciona o presidente da Comissão Eleitoral.

Fabiano finaliza que deseja que todas as chapas hajam com honestidade na condução de seu trabalho. “Que elas procurem lutar pelo voto do servidor, pois vai contar quem trouxer mais eleitor para votar. Essa será a chapa vitoriosa da eleição”, finaliza o presidente.

Da Redação

TOLEDO