Projeto Pequeno Amor: grandiosas ações que ajudam bebês prematuros

O Novembro Roxo chega ao fim. Um mês inteiro dedicado à realização de ações e campanhas em favor dos bebês prematuros. A luta é constante. A mãe luta para evitar que o filho nasça antes de estar pronto; a família luta para que a gestante tenha o suporte necessário; o bebê prematuro luta pela vida.

A prematuridade torna cada um deles verdadeiros guerreiros. Eles são pequenos, mas parecem gingantes em bravura. Cada prematuro, com toda sua indefesa, se faz corajoso diante da vida. Com histórias de luta, de superação e de vitória, cada evolução no desenvolvimento, cada grama conquista, cada progresso é motivo de alegria.

Na 20ª Regional de Saúde de Toledo, são os leitos da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Neonatal da Associação Beneficente de Saúde do Oeste do Paraná (Hoesp) – entidade mantenedora do Hospital Bom Jesus – que presta o suporte clínico para esses pequenos. Dentro dos leitos da UTI Neonatal também é ‘gestado’ o Projeto Pequeno Amor.

Pequeno Amor foi só no início, porque a cada amanhecer é um novo dia, cada paciente que recebe alta é uma vitória, cada doação é importante e, assim, o pequeno fica grande, o pequeno cresce e o pequeno gera mais e mais amor. A iniciativa surgiu a partir de uma mãe, que teve durante um período o bebê prematuro internado na UTI Neonatal, e iniciou uma arrecadação de fraldas em prol da UTI. Dessa forma, um pequeno grupo de amigas se formou e, depois de conhecer a UTI Neo do Hospital Bom Jesus, e entender as necessidades da Unidade, resolveu criar o Projeto para ajudar um pouco mais, já que viram que faltavam equipamentos e outros insumos.

O Projeto iniciou suas atividades em novembro de 2017 com um pequeno grupo de voluntários, dentre eles alguns pais, mães e outros amigos que já passaram com seus bebês prematuros pela UTI Neo. Atualmente, são 45 voluntários ativos.

“As ações de conscientização do Novembro Roxo trazem à tona um assunto muito importante que é a prematuridade, ou seja, ao encontro do Projeto. São 30 dias dedicados a sensibilização sobre o tema, com a divulgação das angústias, dos medos e das superações das famílias que tiveram seu bebê prematuro.  É importante que as pessoas entendam a complexidade que envolve a prematuridade, tanto para as famílias, quanto para as Unidades de Atendimento e profissionais de saúde. Em cada incubadora existe uma vida frágil, uma história, uma família, um sonho. Cada minuto importa neste mundo tão delicado”, destaca a coordenadora do Projeto Gestão 2020, Franciele Felin.

A ESSÊNCIA DO PROJETO – Projeto consegue levar amor para os bebês e seus familiares. Entre as ações desenvolvidas os voluntários vendem produtos como docinhos, agendas, lanches e vinhos. Em 2018 a meta era arrecadar R$ 80 mil. Contudo, devido ao empenho dos voluntários e a colaboração dos amigos e de toda a sociedade, a meta foi ultrapassada e atingiu R$ 95.400,00. Com esse valor foi adquirida uma incubadora e um aparelho Cpap para UTI Neonatal, escolhidos pelo médico João Pedro e equipe. Já no ano passado, o valor arrecadado chegou aos R$ 100 mil.

“Modernizar a UTI significa oferecer um atendimento de maior qualidade e aumentar as chances de sobrevivência dos bebês é o foco de nosso trabalho”, comenta Franciele ao acrescentar que acontece o incentivo para a doação de fraldas RN, lenços e shampoos neutros para a UTI, itens que sempre são bem vindos para os ‘pequenos guerreiros’ e suas famílias.

REFLEXÃO – Conforme a coordenadora, o mês de novembro é especial, pois permite refletir que o objetivo do Projeto é ajudar UTI Neonatal a proporcionar mais qualidade de atendimento aos bebês e familiares. “Como voluntários temos contato com algumas histórias que nos fazem acreditar ainda mais na força e no propósito do Projeto. Nem todas as histórias têm um final feliz, mas temos a certeza que o melhor sempre é feito”.

Em 2021, o Projeto continua e a pretensão é fazer sempre mais. “Esperamos no próximo ano realizar mais ações em prol da UTI Neonatal do Hospital Bom Jesus. Um dos objetivos é aumentar a capacidade de atendimento da Unidade, tanto em estrutura física como equipamentos”, planeja ao reforçar que de ‘pouco em pouco’ muito pode ser feito por cada bebezinho e seus familiares.

Arquivo J.O.

UTI NEONATAL

Diante de um nascimento prematuro, a permanência no leito da Neo é imprevisível, pois depende do dia a dia do pequeno guerreiro. A UTI Neonatal da Associação Beneficente de Saúde do Oeste do Paraná (Hoesp) – entidade mantenedora do Hospital Bom Jesus – iniciou as atividades, em 1999, com seis leitos. São 21 anos de assistência aos pequenos que nasceram prematuros ou tiveram algum tipo de complicação. No ano de 2014, passou por uma ampliação e colocou em funcionamento dez leitos. A última reforma ocorreu em 2019; um projeto do Rotary Club Toledo Lago viabilizou a aquisição de equipamentos para instalação do 11º leito da unidade. A UTI Neonatal do Bom Jesus é a única da 20ª Regional de Saúde, ou seja, atende os 18 municípios da área de abrangência. A equipe de profissionais da UTI Neonatal estuda a implantação de um novo procedimento de hipotermia terapêutica na área de neonatologia. O método funciona como um tratamento que vira melhorar a sobrevivência e o neurodesenvolvimento em recém-nascidos diagnosticados com Encefalopatia Hipóxico-Isquêmica (EHI).

Da redação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *