Regional de Saúde orienta municípios para evitar fura-fila de vacina

Enquanto a vacinação contra a Covid-19 segue o cronograma de grupos prioritários, como profissionais de saúde da linha de frente, idosos e indígenas, em todo o país são registrados casos de ‘fura-fila’. São pessoas que encontram um esquema para serem imunizadas sem fazer parte dos grupos prioritários.

Apesar de algumas denúncias registradas na região Oeste, o diretor da 20ª Regional de Saúde de Toledo (RS) Alberi Locatelli afirma que até a tarde da última terça-feira (9), o órgão não teve casos de ‘fura-fila’ dentro da abrangência da 20ª Regional. “Temos enfatizado a importância de seguir o Plano Nacional de Vacinação, de priorizar os grupos de risco nessa primeira fase e até o momento não tivemos registro de casos de fura-fila”.

Locatelli pontua que os municípios da Regional são orientados sobre o procedimento da campanha de vacinação e, se houver denúncias, todos os fatos serão apurados e encaminhados para os procedimentos cabíveis.

O diretor da Regional lembra que junto com a campanha de vacinação, está sendo reforçada a conscientização da população para respeitar a ordem de vacinação. Nas primeiras etapas são vacinados aqueles que têm maior risco em relação a doença.

“A partir do momento que chegar mais vacinas vamos estendendo a campanha para outros grupos da população. Mas, em alguns municípios da 20ª RS ainda há profissionais de saúde da linha de frente que ainda não tomaram a vacina contra a Covid-19. Precisamos nos concentrar nessas pessoas que estão lidando com os casos suspeitos e confirmados da doença”, salienta.

A Secretaria Estadual da Saúde (Sesa) recebeu no último domingo (7), a quarta remessa de doses da primeira fase de imunização contra a Covid-19.

Essas vacinas marcam o início da imunização dos idosos com 90 e mais anos e ampliação da cobertura vacinal em trabalhadores de saúde.

Locatelli lembra que a média de recebimentos das remessas tem sido a cada 15 dias. “Acredito que na próxima remessa receberemos um quantitativo maior e a perspectiva é de estender a vacinação para outros grupos de idosos. Enquanto isso, pedimos a população que tenha consciência do trabalho sério que estamos desempenhando e que não ocupe a vaga de outra pessoa que precisa ser imunizada neste primeiro momento”, finaliza.

Da Redação

TOLEDO