Relatório apresenta verificação do retorno às aulas presenciais

Foi publicado na última quarta-feira (28), o relatório da Comissão de Verificação do Retorno às Aulas Presenciais, referente ao mês de fevereiro. O documento é uma iniciativa do Fórum Municipal de Educação de Toledo (FME), na perspectiva de mapear o processo do retorno das aulas presenciais no município de Toledo, principalmente verificar como está sendo garantido o direito de aprendizagem dos educandos desde da Educação Básica ao Ensino Superior.

“A perspectiva da Comissão é mapear mês a mês até termos o retorno consolidado em todas as instituições com total de número de alunos”, explica o presidente do Fórum Municipal de Educação, Leandro de Araújo Crestani. A pesquisa foi realizada entre os dias 16 a 29 de março através de um questionário virtual encaminhado por e-mail.

Nem todas as instituições que retornaram as aulas em fevereiro preencheram o questionário. Crestani enfatiza que os dados são parciais, mas são suficientes para acompanhar o cenário de retorno das aulas no município.

O relatório apresenta que foram preenchidos e recebidos 87 questionários sendo 28 Centros Municipais de Educação Infantil (Cmeis) – todos responderam; 32 escolas municipais das 36 existentes responderam; 23 escolas/colégios ou vinculada estaduais das 30 responderam; seis escolas privadas/filantrópicas das 11 responderam; e quatro das oito instituições de Ensino Superior que atendem na modalidade presencial e/ou semipresencial responderam.

O relatório aponta que em fevereiro, 56,6% das instituições que responderam ao questionário estavam com ensino remoto assíncrono (somente atividades com e sem vídeos explicativos) e 35,4% com ensino remoto síncrono (os educando têm aula em casa, tem plano de estudos estruturados e ou somente atividades e encontros virtuais com seus professores). No ensino híbrido eram 3,5% as instituições que estavam atuando; 3,5% que estavam com ensino presencial e remoto; e 0,9% com ensino presencial.

“Com esse questionário nós acompanhamos como ocorre o processo de ensino e aprendizagem, e principalmente mapeando se está ocorrendo casos de contaminação da Covid-19 tanto com professores, alunos e funcionários”, comenta o presidente do FME.

DADOS – O relatório também mostra que 62% das instituições tiveram casos suspeitos de Covid-19 na equipe docente e 38% não tiveram notificações. Em fevereiro, foram 172 casos suspeitos de Covid-19 nas equipes docentes das instituições e 78 casos positivos em docentes de 58% das instituições.

O questionário também perguntou sobre os casos suspeitos e confirmados entre os alunos. O relatório aponta que foram relatados 124 casos suspeitos de Covid-19 em fevereiro em 37% das instituições e 45 casos positivos da doença em 24% das instituições de ensino que responderam ao questionário.

Em fevereiro, 72 casos suspeitos de Covid-19 foram relatados entre os profissionais da educação, como zeladores, cozinheiros, secretários e demais cargos administrativos. Entre esses profissionais foram confirmados 33 casos de Covid-19 no mês.

O relatório complementa que as instituições relataram que nem sempre as famílias comunicaram os casos de Covid-19 uma vez que a instituição está com aulas remotas e, ainda há muitos alunos oriundos de várias localidades.

PRÓXIMAS AÇÕES – Nos próximos dias a Comissão irá fará o mapeamento dos dados referente ao mês de março e, posteriormente, do mês de abril, período de retorno das aulas presenciais na Rede Municipal de Ensino. Para o presidente do Fórum Municipal de Educação, Leandro de Araújo Crestani esse processo será importante para compreender o cenário educacional.

A metodologia do próximo questionário poderá ser alterada, se necessário. “Vamos definir com a Comissão sobre as próximas perguntas e como vamos proceder, principalmente para mapear quantos alunos por turma voltaram de forma presencial ou continuaram de forma remota. Isso será discutido com a Comissão dado até a evolução do próprio cenário. Essas questões iniciais foram pensadas nas características do mês de fevereiro que era o início do ano letivo”, esclarece.

COMPOSIÇÃO – A comissão foi instituída através da Portaria Nº 02/2021 da Secretaria Municipal de Educação conforme solicitação do Fórum Municipal de Educação. A comissão tem representantes dos professores das escolas municipais, da Secretaria de Educação, dos Cmeis, das instituições do Ensino Superior, do Núcleo Regional de Educação (NRE) de Toledo, dos professores da Rede Estadual de Educação, do Fórum Municipal de Educação e do Legislativo.

Da Redação

TOLEDO