Secretário de Aquicultura e Pesca visita Toledo e outorga da água é liberada para piscicultores

Nesta quarta-feira (11) o secretário de Aquicultura e Pesca do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Jorge Seif Junior e o Secretário adjunto, Jairo Gund, cumpriram agenda na Região Oeste do Paraná. O principal objetivo da visita era ouvir os diversos atores envolvidos no setor da piscicultura, compreender as demandas do segmento e intervir nos assuntos que fosse possível. O maior resultado foi a desburocratização e liberação da outorga da água para os produtores.

A pauta do secretário incluiu visita ao Biopark; Coletiva de Imprensa; evento no Auditório Acary Oliveira na Prefeitura de Toledo para abordar a atividade da pesca no município, apresentar o curso de engenharia de pesca da Unioeste e a exposição de dúvidas de produtores e empresários.

O secretário adjunto, Jairo Gund, resumiu o motivo da visita, disse que “quem sabe da atividade é o produtor e o Governo Federal veio aqui para ouvir o setor produtivo”. 

Jorge Seif destacou o potencial e a força da piscicultura da região. “O Oeste do Paraná dá aula para o Brasil. A região responde por mais de 20% da produção nacional. Se São Paulo, o segundo maior produtor, dobrar sua produção, ainda assim o Paraná ficará na frente. Vocês são modelo e um grande exemplo para todo o Brasil, a integração das cooperativas, produtores de alevinos, fábrica de rações, engorda, é um exemplo e por isso estamos aqui”, afirmou o secretário quando divulgou que o Brasil produz hoje cerca de 800 toneladas de pescado.  

O secretário informou ainda que o Governo Federal está investindo muito na normatização da criação de tilápia no lago de Itaipu. “Só no lago de Itaipu, podemos crescer 50% de tudo que o Brasil produz em seu território hoje. Hoje o lago só gera energia elétrica, mas poderia estar gerando proteína animal, emprego, renda para o Brasil e para o Paraguai. Para isso dependemos de uma sensibilização do parlamento paraguaio”, mencionou. 

Ele relatou que existia alguns melindres indicando a tilápia como uma espécie invasora, predadora, mas várias universidades e órgãos técnicos demonstraram que é uma espécie presa e num eventual escape para a natureza não ameaça a nossa fauna. 

Outorga

Ainda na entrevista coletiva o secretário de Aquicultura e Pesca mencionou que existiam algumas demandas para alinhar com a gestão estadual. A questão da outorga d’água e licenciamento ambiental foi apontada como uma das principais demandas do setor. “Existe uma interlocução para que esses produtores trabalhem na legalidade. Existem algumas demandas reprimidas dentro da Secretaria de Meio Ambiente e do IAT”, chegou a mencionar para a imprensa. 

Pouco antes de acabar o encontro proporcionado pela Gestão Municipal e representantes de vários segmentos públicos e privados com os representantes do Ministério da Agricultura, o chefe regional do Instituto Água e Terra (IAT), que abrange 22 municípios da região, Taciano Cesar Freire Maranhão, anunciou a garantia de que a outorga da água reivindicada por vários produtores será liberada mediante protocolo do produtor. 

Neste momento, o secretário de Aquicultura e Pesca do Ministério da Agricultura olhou para a plenária e se dirigiu a Beto Lunitti com um semblante de satisfação: “Prefeito, missão cumprida” e comemorou o resultado da visita na região.

“A gente fica muito feliz com a vinda do secretário para Toledo. Veio e atendeu as demandas que são do setor produtivo, além de estar sensibilizado pelo potencial da nossa região. Isso tudo soma-se ao interesse do Governo Federal em contribuir ainda mais para que ampliemos a produção e estabeleçamos cada vez mais o desenvolvimento da atividade. Nossa impressão foi muito positiva. O município de Toledo está aberto a todos os programas que o Governo Federal e o Governo Estadual possam oferecer”, destacou o prefeito Beto Lunitti. 

Na ocasião, Beto entregou um documento ao secretário onde solicita entre outras coisas o apoio para a implantação de uma Smart Fish Farm (Fazenda Inteligente de Peixes). “A harmonização entre os poderes faz com que quem ganhe seja a sociedade”, ratificou Lunitti. Ele também destacou a importância fundamental da universidade nesse processo.

A diretora geral da Unioeste – Campus Toledo, Patrícia Stafusa Sala Battisti, discursou no mesmo sentido. “A união dos vários saberes com o poder público em todas as suas esferas é que faz essa força do Oeste”.

Participaram do encontro com os representantes do Ministério da Agricultura vários piscicultores e representantes da Adapar, IAT, IDR, SEAB, Associação dos Engenheiros Agrônomos de Toledo, Associação dos Engenheiros de Pesca do Paraná, Sindicato Rural, Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Sociedade Rural, vereadores, secretários e integrantes do Governo Municipal. 

Os representantes da Sociedade Rural, do Sindicato Rural e do Sindicato dos Trabalhadores Rurais entregaram documentos com demandas específicas para os representantes do Governo Federal. 

Valdecir Rodrigues Galvão, piscicultor de Toledo elogiou a realização do evento, comentou que uma das dificuldades de expansão da produção é acessar recursos para investir na propriedade, seja em equipamentos, quanto em novas tecnologias. “Nós estamos muito bem assistidos em Toledo, mas precisamos avançar em tecnologias para resolver problemas como o de energia dentro da propriedade. Mas estão todos de parabéns pelo evento”. 

Da Prefeitura de Toledo-PR