Toledo tem um registro confirmado de dengue

O boletim epidemiológico da dengue divulgado na quarta-feira (28), apresenta o primeiro caso confirmado da doença no município de Toledo neste período sazonal. Os dados ainda apontam que 11 notificações aguardam o resultado dos exames e 41 foram descartadas, com um total de 53 notificações.

O primeiro caso confirmado é de natureza autóctone, isto é, foi contraído dentro do município. O coordenador de Endemias Selídio José Schmitt explica que, tão logo a equipe foi informada da notificação suspeita de dengue, os agentes realizaram a visita técnica na residência em questão e no entorno para a remoção mecânica dos criadouros de larvas.

“Os agentes trabalharam na remoção e reforçaram as orientações de cuidados dos quintais e pátios com a comunidade. Está chegando o período chuvoso e com o calor as condições são muito favoráveis para a proliferação do mosquito da dengue. Por isso, é importante a colaboração da população para não termos um verão tão complicado como o anterior com uma epidemia de dengue”.

 

CUIDADOS – Selídio reforça que os cuidados são simples e rápidos, mas de extrema importância para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegypti.

“Esse primeiro caso acende uma luz de alerta e as pessoas precisam ter consciência que a dengue também é muito perigosa, não somente a Covid-19. Já temos três mortes registradas no Estado desde agosto por conta da dengue. Então, dez minutos por dia são suficientes para retirar do pátio um pote, uma garrafa ou outro utensílio que possa acumular água. O risco do município passar por uma nova epidemia de dengue não está descartado”, complementa.

 

FERIADO – Com a proximidade do feriado de Finados, que neste ano será numa segunda-feira, muitas famílias irão aproveitar a data para viajar. Selídio lembra que antes de sair, as famílias devem observar quais objetos e utensílios ficam pelo lado de fora das residências e retirá-los para não acumular água e servir de criadouro da dengue.

“Estamos num período muito propício para a proliferação do mosquito: calor intenso e a possibilidade de pancadas de chuva. Um ou dois dias que a água parada fica em um recipiente já é o suficiente para ‘atrair’ os mosquitos e virar um berçário de larvas”, enfatiza.

Outra recomendação é para quem for visitar os cemitérios no dia 2. A equipe de Endemias fixou panfletos e cartazes pelos locais orientando a comunidade em relação aos cuidados com os vasos de flores. “As pessoas devem retirar o plástico que envolve os arranjos, retirar os pratinhos e colocar areia nos vasos para não acumular água da chuva”, conclui.