Vereadores são contrários ao pedido de adiamento de discussão

Vereadores são contrários ao pedido de adiamento de discussão

Antes de iniciar a segunda discussão do Projeto de Lei 57/2021, o vereador Elton Welter entregou um Requerimento para a Mesa e solicitou o adiamento da discussão por três sessões. No entanto, essa proposta foi rejeitada por 10×7 votos. Welter explicou que muitas mulheres estão indignadas com essa alterações. “Na LDO não existe a garantia de mais recursos para as políticas às mulheres”.

A vereadora Olinda Fiorentin considerou o requerimento valioso. “É preciso que a sociedade conheça esse Projeto de Lei que está sendo votado nesta Casa. Assim, poderíamos dialogar durante o nosso recesso com a administração e rever algumas políticas. Não sou contra a reforma, e sim, ao pacote antidemocrático. A Secretaria da Mulher é um título, uma casa, onde as mulheres buscam os seus direitos”.

Por sua vez, o vereador Dudu Barbosa – líder de governo – disse que a matéria está no Legislativo algum tempo e já foi amplamente discutida. “Não observo sentido em adiar a discussão, tendo em vista que o PL foi votado em primeiro turno e a necessidade em deixar a pauta limpa para este semestre”.

ANÁLISE – Na oportunidade, o professor Oseias disse que o PPA traz mudanças como se o Projeto de Lei tivesse sido aprovado. “Olha o perigo que caímos. Eu consultei essa Casa e nunca houve algo parecido. Que o Executivo converse mais com o Legislativo e que não esteja neste clima. O PPA também é uma justificativa para o adiamento. Por que o PPA vem como se a Lei já estivesse aprovada?”, questionou.

O parlamentar Chumbinho Silva também foi favorável ao requerimento. “Nós somos contrários em alguns pontos e favoráveis em outros. As discussões devem acontecer em alto nível e espero que se aprove o que a maioria considerar legal”.

Já o vereador Marcelo Marques afirmou que é contrário ao requerimento. “Sou favorável ao projeto, porque é preciso analisar os cenários federal e estadual. Não há incoerência no projeto. A iniciativa do gestor é para que as atividades sejam executadas da melhor maneira. Entendo a contrariedade das pessoas; isso é democracia. As pessoas podem ter opiniões diferentes”.

Quem também foi contrário ao requerimento foi o vereador Gabriel Baierle. Para ele, o pedido de adiamento deveria acontecer ainda no primeiro turno. “A maioria dos vereadores está com os seus posicionamentos. O projeto está na casa há vários meses e ele foi amplamente discutido. Não compreendo o momento para adiar. Além disso, não há possibilidade da emenda. Não há possibilidade de alteração no projeto. Logo sou contrário ao adiamento”.

Para a vereadora Olinda Fiorentin, o problema não é orçamento, e sim, prioridade na representatividade. Qual o interesse do fechamento da Secretaria da Mulher? Nós estamos votando com pressa e acabamos de rejeitar um pedido de adiamento, mas não com o meu voto. Posso garantir que vai ter luta e que ela não termine nesta tribuna. É preciso realizar o bom combate”.

Da Redação

TOLEDO