Vitória: após ficar seis dias intubada no PAM, paciente de Covid-19 recebe alta

Os corredores do Pronto Atendimento Municipal (PAM) Dr. Jorge Milton Nunes, o Mini Hospital da Grande Pioneiro, em Toledo, ficaram em festa na manhã desta segunda-feira (05) para celebrar o término da internação de Denícia Tacer. Não foi uma alta qualquer: foi a primeira de um paciente com Covid-19 que sobreviveu após ser intubado e conseguiu ser extubado sem necessidade de transferência para leito de unidade de terapia intensiva (UTI).

Logo na saída do quarto, a dona de casa, de 58 anos de idade, acompanhada pela filha Mariana, foi recepcionada por vários colaboradores da unidade de saúde, que seguravam cartazes e balões de festa. A paciente recebeu também um buquê de flores, presente que a deixou felicíssima. “Estas rosas vermelhas que vocês me deram são reais, iguais aos que vi na noite em que eu acordei, quando sonhei que as levava até a igreja na Sexta-Feira Santa. Não deu tempo para fazer isso semana passada, mas farei assim que for possível”, relata.  “Eu venci a Covid-19 por esta equipe também, mas quase que vocês me matam do coração com esta surpresa”, brinca.

Morada do Jardim Santa Maria, Denícia deu entrada no PAM em 21 de março e permaneceu internada em leito de enfermaria até o dia 24, quando seu quadro agravou e precisou passar por intubação. Assim ela permaneceu por seis dias, quando teve uma importante melhora e acabou sendo extubada e voltando para o quarto. 

Apesar de estar ainda bastante fraca e com dificuldades para andar, já consegue respirar “a ar ambiente” e se alimentar sozinha. “A alta da Denícia representa uma vitória para toda a equipe do Mini Hospital, pois conseguimos salvar uma vida com a estrutura que precisamos criar de forma provisória, em um cenário em que faltaram leitos de UTI em toda a região. Enquanto os pacientes com quadro grave de Covid-19 aguardam vaga num hospital, eles são estabilizados aqui e, felizmente, ela conseguiu ser extubada antes”, explica o diretor de Urgência e Emergência da Secretaria Municipal de Saúde, Júlio Cesar Fabris. “Esta superação é motivo de alegria para todos nós, de ver que nossos esforços estão fazendo a diferença”, avalia.

E foi com o sentimento de gratidão que Denícia pôde ir embora para casa. “Trago no coração vida, alegria e amor por essas meninas… Porque foi uma luta enorme que nós tivemos. Aliás, elas tiveram comigo”, agradece. “A partir de agora, tudo vai mudar em minha vida, pois eu nasci de novo”, comenta.

TOLEDO