Missão da Wolo é dar chance

Entra no ar, no dia 25, a plataforma de streaming Wolo, um sonho de Licínio Januário e Leandro Lemos, que se torna realidade. Para começar, a palavra africana ‘wolo’ não tem um significado simples, mas é algo tipo ‘axé’. “É uma expressão de felicidade”, explica Licínio. Empolgado com a proximidade da grande estreia, o ator e diretor revela que o catálogo da plataforma é grande, com séries, filmes, programas de auditório, mas eles decidiram começar com calma, somente com a série Casa da Vó, por enquanto. “Resolvemos dar um primeiro passo e projetar essas produções para depois, mas temos muito conteúdo”, afirma.

Esse é um projeto que nasceu há cerca de um ano e meio e, de acordo com Licínio, “entre tantas mudanças de caminho, chegamos ao modelo ideal, conseguindo produzir um conteúdo de qualidade, a preço razoável, bem abaixo do mercado, e que chegue na população, ao nosso público-alvo, que é a população negra”. E Leandro complementa, dizendo que, na equipe que produziu a série, “99% das pessoas eram negras, e desse total, eu diria que 85% já eram da indústria do audiovisual, mas nunca tiveram a força de se unirem e ocuparem esse espaço que o Wolo está ocupando hoje”.

Os dois deixam claro que a plataforma tem como missão dar maiores oportunidades para profissionais negros que lidam com cultura, seja na frente ou atrás das câmeras, mas tem também a preocupação de olhar para outras populações que têm pouca visibilidade. “Nosso time sempre foi diverso, a gente pensa na questão indígena, dos asiáticos brasileiros, da população LGBT.”

Para ter acesso à plataforma, é só entrar no site: www.wolo.TV

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.