Altas temperaturas aumentam consumo de água e população deve evitar o desperdício

0 72

O clima seco e quente deste final de verão tem feito com que a comunidade consuma água em maior quantidade e, muitas vezes, sem responsabilidade, podendo comprometer os recursos hídricos. Adotar algumas medidas práticas no dia a dia podem reduzir o consumo de água. Além de contribuir com a diminuição total das despesas, gera uma economia na conta no fim do mês e contribui diretamente na sua preservação.

Dados da Organização das Nações Unidas (ONU) apontam que cada indivíduo necessita de 3,3 mil litros de água por mês, cerca de 110 litros de água por dia, para atender às necessidades de consumo e de higiene. No Brasil, o consumo por pessoa pode chegar a mais de 200 litros/dia. Nos dias mais quentes, esses números podem aumentar significativamente.

De acordo com o gerente regional da Sanepar, engenheiro Eduardo Luiz Arrosi, no mês de fevereiro a Sanepar teve picos de consumo de até 31.500 m³/dia, sendo que a capacidade atual de tratamento é de aproximadamente 33.500 m³/dia.

“Com isso, chegamos próximo a 94% da nossa capacidade de tratamento de água nos dias de maior consumo. Em relação ao nosso planejamento, o volume consumido de água ficou 5% acima do previsto. Basicamente os fatores são o calor e a falta de chuva. Porém, quando comparamos com fevereiro de 2023 o volume ficou praticamente estável”.

Atualmente, apesar de se observar um aumento do consumo de água pela população, ele explica que os reservatórios têm mantido os seus níveis, mesmo nos dias de maior consumo que, historicamente são às sextas e aos sábados. A captação do Rio Toledo, que é responsável por um terço do abastecimento de Toledo, tem se mantido.

“Visualmente observa-se uma redução dos níveis desse rio, porém continuamos captando a quantidade máxima de água do mesmo, em torno de 450 mil litros por hora. Os poços subterrâneos estão sendo monitorados e também têm mantido os seus níveis estáveis”, comenta Arrosi.

ABASTECIMENTO – O gerente regional explica que a Sanepar faz o monitoramento frequente nos poços subterrâneos que utiliza para o abastecimento e também nas captações superficiais. Ações que contribuem para evitar o desabastecimento. Até o momento, ele reforça que na região de atuação da Companhia não houve problema de abastecimento neste período.

“O planejamento da Companhia é feito em cima do dia de maior consumo, ou seja, o sistema tem que estar preparado para o dia mais quente do ano, onde provavelmente teremos o maior consumo de água. A Companhia também trabalha com a pesquisa para identificar vazamentos nas vias públicas, reduzindo as perdas de água, além da troca preventiva de hidrômetros que melhoram a eficiência da medição dos clientes”.

CONSUMO – Conforme o Sistema de Tecnologia e Monitoramento Ambiental do Paraná (Simepar), o calor intenso deve continuar nos próximos dias. As temperaturas poderão alcançar os 35 graus. E para evitar o desperdício de água com o consumo consciente, algumas medidas são importantes. No banho, para um chuveiro, de vazão média de sei litros de água por minuto, um banho de dez minutos consome 60 litros de água. “Diminua esse tempo para cinco minutos e economize 30 litros. Em uma casa com quatro pessoas, serão economizados 120 litros por dia. No final do mês, a economia será de 3.600 litros de água somente reduzindo pela metade o tempo do banho”.

Manter a torneira fechada ao escovar os dentes e fazer a barba também podem representar uma economia de água. Em apenas dois minutos de torneira aberta são gastos em torno de 13 litros de água. Se abrir o mínimo a torneira, podem ser economizados cerca de 10 litros de água. Ao escovar os dentes três vezes ao dia, serão 30 litros economizados. Em um mês, uma pessoa terá economizado 900 litros de água somente controlando a torneira na escovação.

As caixas de descarga acopladas ao vaso sanitário têm vazão de seis litros por vez. Arrosi indica colocar dentro das caixas uma garrafa de refrigerante embalagem PET de um litro com terra ou pedra ou água da máquina de lavar. “Isso economizará um litro por descarga sem comprometer a eficiência. Considerando que uma pessoa utiliza o vaso sanitário em média quatro vezes ao dia, em uma casa com quatro pessoas serão economizados 16 litros de água. Em um mês são 480 litros de economia”, explica.

Na cozinha, uma torneira de pia funcionando 15 minutos consome 120 litros de água. O ideal é juntar os utensílios e lavar de uma vez a louça. Ensaboar a louça com a torneira fechada trará uma grande vantagem. “Se a economia for de 60 litros, em 30 dias serão 1.800 litros que deixam de ir pelo ralo”.

Utilize a vassoura para limpar o quintal, a calçada ou as áreas comuns de prédios e empresas ou reutilize a água que sai da máquina de lavar roupa. Prefira um balde e um pano para limpar o carro. O gerente regional da Sanepar enfatiza que a população deve ficar atenta a eventuais vazamentos na sua residência e fazer o conserto. Ao encontrar vazamentos na rua ou em vias públicas, a população deve avisar imediatamente a Sanepar pelo telefone 0800 200 0115.

“Um buraco de 2 mm em um cano de única casa pode desperdiçar 3.200 litros de água por mês. Uma torneira pingando uma gota a cada cinco segundos representa mais de 20 litros de água jogados fora em apenas um dia. Em um mês são 600 litros de água desperdiçados”.

A água tem papel fundamental não só para matar a sede, mas principalmente, para produzir alimentos e outros artigos de primeira necessidade. Devido à sua importância é preciso ter consciência e entender que a economia de água é um hábito a ser adotado por todos.

“O principal apelo à população é orientar que a água é um bem finito e indispensável à sobrevivência humana. Os últimos anos servem de alerta para a preservação deste bem. Importante destacarmos que temos que pensar nas próximas gerações e não só no momento atual”, finaliza Eduardo Luiz Arrosi.

Da Redação

TOLEDO

Deixe um comentário