Quão forte será a recessão na economia provocada pela crise do Covid-19?

Existem alguns impactos na sociedade que acabam provocando crises diretamente na economia. A pandemia de 2020 e o coronavírus (Covid-19) provocou grandes mudanças na rotina das pessoas, que ficaram impedidas de continuar suas atividades normalmente, o que impactou diretamente na economia dos países.

Quanto mais o tempo passa, pior a situação fica. Com a rotina alterada, dificilmente se encontra maneiras de movimentar a economia dentro desta nova maneira de encarar os dias. Por isso, vamos falar um pouco sobre a força da recessão na economia que é causada pela pandemia do Covid19.

 

Como a recessão se instala no meio da pandemia

De forma básica, a recessão se instala quando a economia não performa da mesma maneira que de costume. No caso da pandemia, muitas pessoas perderam seus empregos, negócios que não estavam preparados foram fechados, e sem dinheiro, não há como consumir da mesma maneira, afetando assim outros milhares de negócios.

O clima de guerra e reclusão pelo isolamento social fez com que os trabalhadores informais também fossem prejudicados, já que não tem como saírem como sempre para correrem atrás de suas rendas.

Com a roda da economia deixando de girar como deveria, a recessão começa. Neste caso, como a pandemia dura muito tempo e o isolamento social parece não acabar nunca, cada vez mais as pessoas ficam sem emprego, sem dinheiro e negócios pequenos vão fechando.

Os países mais afetados pela recessão são aqueles também mais afetados pela pandemia. Aqueles que conseguiram controlar o número de infectados e mortos puderam retomar atividades (com certo controle) e estão se saindo melhor, podendo evitar grandes estragos.

Países que se beneficiam e são dependentes do turismo e do comércio global, também com suas atividades reduzidas, sofrem bastante na pandemia pelo fato de terem suas atividades completamente paralisadas para evitar que o vírus se espalhe no mundo. É certo de que nenhuma paralisação é boa para a economia de um país.

 

Os impactos da recessão provocada pelo Covid19

Não se sabe certamente o quão forte será a recessão na economia causada pela pandemia do coronavírus, mas pode se ter uma ideia por meio de dados já coletados e estudos de projeção já feitos. O que se sabe é que, se não controlada, a recessão pode durar anos e pode-se ter décadas de marcas da pandemia pela frente.

Kenneth Rogof, um economista professor de Harvard acredita que o vigor de saída da crise dependerá da resposta sanitária, ou como a pandemia irá se resolver ao longo do tempo. 

Segundo Henrique Meirelles, a economia brasileira deve encolher em torno de 7% em 2020. Ele chegou a dizer que esta é uma estimativa bem perto da realidade, podendo ser ainda pior, se o ritmo de contágio não diminuir até junho.

Deve-se levar em conta que vivemos uma situação completamente fora do comum, tanto quanto dramática. Por isso, não se sabe o que esperar em um cenário caótico e sem solução permanente para o vírus.

 

Como o Brasil trabalha para reduzir os impactos na economia pela pandemia

Com o grande aumento do desemprego e diminuição da renda dos trabalhadores informais, a solução do governo foi implementar o auxílio emergencial que conseguiu enquadrar muitos brasileiros e oferece uma solução temporária para aqueles que não conseguem ter renda em meio ao isolamento social.

O auxílio de R$600 (R$ 1.200 para mães solteiras), consegue suprir algumas necessidades das pessoas e foi lançado com três parcelas iniciais, mais duas parcelas adicionais. 

No entanto, existem muitos problemas no sistema de distribuição do auxílio. A maior delas é a dificuldade de aprovação, enquanto algumas pessoas necessitadas não são aprovadas, outros casos de pessoas que não precisam e recebem ganham notoriedade na mídia.

Além disso, o governo propõe outras medidas para frear os impactos da crise econômica, como os incentivos para grandes empresas não passarem por dificuldades durante a crise.

Outra forma encontrada pelo presidente de reduzir os impactos da pandemia é tratar o assunto com mais naturalidade, tentando não criar pânico e tratar o vírus como algo não tão prejudicial, orientando a liberação do funcionamento do comércio e rotina normalmente.

O outro lado desta medida do governo é um pouco mais escuro. Os resultados dessa abordagem do governo colocam o Brasil nos primeiros lugares no crescimento do contágio, podendo provocar uma recessão muito maior do que se houvessem medidas severas de combate ao Covid19.

 

Possibilidades de crescimento Pós Pandemia

Com toda essa nova rotina de isolamento social, alguns novos serviços e maneiras de consumir estão surgindo. Isso porque, como a rotina foi alterada, as pessoas buscam maneiras de voltar à normalidade ou pelo menos se aproximar dela.

Pensando nisso, o meio digital está cada vez mais em alta, tanto no setor de serviços e produtos, quanto também no entretenimento, por meio de lives de shows e uma explosão de cursos online e escolas EAD.

As possibilidades neste ambiente são imensas. Existem muitas formas de oferecer valor por meio da internet e o investimento sempre vai ser muito abaixo do que o de um negócio físico.

Um dos investimentos mais importantes vai ser a hospedagem de sites, pois sem esse recurso não é possível ter um site ou plataforma para atingir seus clientes e colocar o trabalho em exposição.

O servidor de hospedagem de sites também é essencial para negócios que funcionam em home office, pois a existência de um workplace facilita a organização da empresa e alinhamento dos colaboradores.

Contudo, é certo de que muitas pessoas não podem se dar ao luxo de esperar a pandemia acabar para criar o seu negócio e começar a ter uma renda, mesmo que pequena. Por isso, muitas delas estão se arriscando e testando novos modelos de negócio para já acostumar o seu público a consumir de uma nova forma.

Como o investimento é bem pouco, a alternativa de um negócio online ou com operações digitais bem definidas pode ser ótimo para se começar na pandemia.

Esta é a forma como as pessoas encontram para contornar o desemprego e recuperar o poder de consumo. Todas estas alternativas ajudam a girar a roda da economia para diminuir os impactos da crise gerada pelo Covid19.

Novos modelos de negócio durante e pós-pandemia

Os modelos de negócio que se adequam a transformação digital estão se saindo melhor durante a pandemia. Logicamente, pela diminuição do poder de consumo, todos os negócios serão afetados, mas aqueles que conseguirem dar continuidade às suas atividades têm mais chances de sobreviver.

Para quem não possui tanto conhecimento, pode começar criando um blog, página em redes sociais ou canal no Youtube para fornecer conteúdo. Nunca se consumiu tanto conteúdo quanto na época de isolamento social e tem diversas formas de monetizar o conteúdo online.

O essencial é que você faça o registro de domínio e contrate uma hospedagem de sites para ter o seu próprio espaço online. Com esse espaço você pode criar suas próprias regras, criar e distribuir conteúdo e até mesmo vender produtos.

 

A recessão é um fantasma que poderá assombrar a Economia por algum tempo

É certo de que, enquanto não houver uma solução definitiva para o vírus, poderá ter reincidência de casos mesmo em países que superaram suas fases ruins. Por isso, é necessário se adaptar ao momento e procurar formas de sobreviver em meio ao caos.

A recessão vai acontecer e terá impactos dolorosos em todo o mundo, mas o pouco que cada governo e cidadão puder fazer, vai diminuir seus impactos para que os danos se minimizem mais rapidamente ao longo do tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *