Saúde espiritual: cura que vem de dentro para fora

0 15

* Tatiana Capanema

É fato que a medicina moderna avançou consideravelmente no tratamento das doenças físicas ao longo dos séculos. No entanto, muitas vezes, ainda negligenciamos o aspecto espiritual da nossa saúde, fundamental para termos qualidade de vida.

Mas como cuidar deste lado do ser humano? Somos compostos por uma tríade – corpo, mente e espírito – que exige atenção diária. O primeiro aspecto é o mais visível e tangível, porém, os dois últimos, são invisíveis aos nossos olhos, mas igualmente importantes para nutrir o bem-estar integral. Pode ser difícil compreender que o corpo não pode funcionar adequadamente se esses elementos invisíveis não estiverem em equilíbrio e saudáveis. 

Muitos males que enfrentamos têm raízes na falta de propósito, incredulidade, falta de perdão, ausência de relacionamento com Deus, culpa e negligência das disciplinas espirituais como oração, leitura da Bíblia e jejum. Esses conflitos internos podem se transformar em estresse, ansiedade, depressão e uma série de outras enfermidades emocionais e até físicas.

Eu mesma sofri na pele esse problema e experimentei a cura de Deus na medida em que segui alguns princípios bíblicos para ter vitalidade do espírito e não somente no corpo. Tirei os olhos dos sintomas e voltei para a Palavra do Criador e, só então, pude viver o que a Bíblia afirma: “Filho, preste atenção no que eu digo. Escute as minhas palavras. Nunca deixe que elas se afastem de você. Lembre delas e ame-as. Elas darão vida longa e saúde a quem entendê-las.” (Provérbios 4.20-22, NTLH, grifo da autora).

O fato é que precisamos cuidar de nós na ordem certa de prioridade e, para isso, é necessário nos voltarmos para Deus em busca de cura e restauração, pois a saúde espiritual vem em primeiro lugar. Além disso, precisamos viver em obediência e temor ao Senhor, reconhecendo que Ele é a fonte de toda vida e bem-estar. 

A cura que vem de dentro para fora requer fé e comprometimento. A vida corrida nos rouba tempo de qualidade com o Pai, e essa pode ser a pior armadilha para sua saúde. A questão não se resume à simples obediência a normas ou práticas religiosas, mas, sim, à nutrição de um relacionamento íntimo com Deus, com o objetivo de aprofundarmos o conhecimento sobre o Divino e, consequentemente, permitir que Ele provoque transformações positivas em nossa existência.

Ou seja, trata-se de um convite para acompanhar diariamente o Senhor, dando permissão para que Ele nos oriente, instrua e modele de acordo com sua vontade.  

* Tatiana Capanema é pastora, autora do livro “Saúde do Reino” (Editora Vida) e Mestre em Saúde Visual e Educação Especial.

Deixe um comentário