Silêncio de Deus frente à covid-19 não é ausência, mas recado e advertência.

Individual e coletivamente, submetemo-nos ao exercício da reflexão e julgamento. Duas interrogações: (a) O novo coronavírus é castigo, sacrifício, pânico, sofrimento, provação, privação, penitência? (b) A covid-19 é aviso de que já passou da hora de redefinir a finalidade da Organização das Nações Unidas (ONU), reestruturar os Estados (países), revitalizar a Igreja e as escolas, refundar a mensagem dos meios de comunicação, fecundar a sabedoria divina na terra?

A Trindade Santa não interfere e nem se mete em eleições de governantes e políticos, entendimentos e discordâncias entre marido e mulher, números sorteados e resultados de loterias, placares de jogos e competições esportivas, conveniências comerciais e preferências pessoais. Também não é cofre aberto de assistências, graças e favores. A Sagrada Família e a Trindade Santa são as mais poderosas e fiéis aliadas do bem, da saúde, do livre arbítrio, da prosperidade e da realização plena.

Inspiram-nos dez possibilidades efetivas para a humanidade viver melhor hoje, amanhã e sempre:

1.Jamais subestimar o poder, a bondade e a misericórdia do Pai Eterno, nem desafiar e agredir a mãe natureza.

2.Ouvir os altos brados do Criador contra a destruição acelerada do reino, da família e dos ensinamentos do Verbo Encarnado.

3.Respeitar as fragilidades do corpo, as limitações da ciência e da técnica, a evolução e o progresso.

4.Valorizar por todos os meios a saúde, a educação continuada, o trabalho, a solidariedade, a fraternidade e a espiritualidade.

5.Irrigar os dons pessoais, os tesouros da inteligência, a prudência e as bem-aventuranças recebidos gratuitamente.

6.Diminuir progressivamente a ganância, a gula, os vícios e as dependências.

7.Agir, renovar-se, mexer-se, articular-se, testemunhar, amar o que fazemos, ampliar as obras construtivas, criadoras e úteis.

8.Com humildade e pureza da alma, levedar a fé cristã, as competências e as habilidades particulares por meio de serviços, missão e partilha.

9.Cultivar a honestidade e o zelo, solidificar a dignidade e a honra, fortalecer a dedicação e as ações de bem servir o próximo, construir diuturnamente o abrigo definitivo.

10.Reservar todos os dias algum tempo para meditar, orar e unir-se intimamente com o Proprietário de tudo e de todos. Suplicar, escutar, agradecer e seguir em frente com segurança e ânimo renovados.

 

Pedro Antônio Bernardi – Mestre em Educação, economista, jornalista, palestrante. ([email protected])

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *