Coluna da ADI 14/11/2020

Serviços em alta

O setor de serviços cresceu 2,6% no Paraná entre agosto e setembro. É a terceira alta consecutiva e o melhor resultado do ano na série que compara os meses com ajuste sazonal, segundo dados divulgados na última quinta-feira, 12, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O turismo cresceu 11,7% no período, segunda variação positiva em sequência. O crescimento do Paraná fica acima da média nacional, de 1,8%. Em setembro, 25 das 27 unidades da federação tiveram expansão no volume de serviços, com alta em quatro das cinco macroatividades analisadas. A pesquisa do IBGE abrange hotéis, agências de viagens, restaurantes, serviços ambulantes de alimentação, transporte, parques, casas culturais, academias de condicionamento físico, lavanderias, cabeleireiros, serviços gerais de apoio e ensino de idiomas.

 

Lucro da Sanepar

A Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) encerrou o terceiro trimestre de 2020 com um lucro líquido de R$ 164,58 milhões, uma queda de 33% em relação aos R$ 243,64 milhões do mesmo período de 2019. O resultado teve impacto da combinação de queda de receita e alta de 10% nos custos e despesas operacionais. A receita líquida caiu 1,6% no trimestre, para R$ 1,16 bilhão, em decorrência da diminuição dos volumes faturados de água e esgoto, resultante da emergência hídrica que vigora no Paraná, que demandou ações mitigadoras devido ao baixo volume de reservas e escassez de chuvas. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) caiu 19%, para R$ 392,2 milhões, com a margem recuando de 41% para 33,6%.

 

Lucro da Copel

A Copel registrou lucro líquido de R$ 680,4 milhões no terceiro trimestre, aumento de 10,9% na comparação com igual período de 2019, conforme relatório divulgado na noite de quinta-feira, 12. A geração operacional de caixa medida pelo Ebitda atingiu R$ 1,1 bilhão, queda de 11,1% na mesma comparação. A empresa também registrou impacto positivo da revisão de reajuste tarifário dos contratos da transmissora na Copel GeT. A receita operacional da companhia aumentou 3,6%, para R$ 4,3 bilhões, enquanto o mercado fio caiu 2,8%, para 7.135 GWh.Os investimentos aumentaram 7,8%, para R$ 430,4 milhões.

 

Consumo de energia

O consumo de energia no país voltou aos níveis pré-pandemia, principalmente impulsionado pelos setores da indústria voltados à exportação. O dado faz parte dos resultados da Eletrobras, referentes ao terceiro trimestre do ano, que apontam lucro líquido de R$ 96 milhões, inferior aos R$ 716 milhões do mesmo período do ano passado. A apresentação dos números foi feita em teleconferência realizada na última quinta-feira, 12, aos acionistas da estatal, pelo presidente da Eletrobras, Wilson Ferreira Júnior. Segundo ele, o setor que apresenta maior atividade é o exportador, impulsionado pelo câmbio favorável. Ao mesmo tempo, o comércio e os serviços ainda estão abaixo do potencial.

 

BNDES Moderfrota

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) reabriu na última sexta-feira, 13, o sistema para protocolos de novos pedidos de financiamento para o Moderfrota, principal programa de estímulo à aquisição de máquinas e implementos agrícolas do país. O valor disponível será de R$ 740 milhões, conforme declararam o chefe do Departamento de Clientes e Relacionamento Institucional do BNDES, Tiago Peroba, e o chefe do Departamento de Canais de Distribuição e Parcerias do banco, Caio Araújo. O montante representa 14% dos R$ 6,2 bilhões alocados para o Moderfrota na safra 2020/2021. O banco enviou na quarta-feira, 11, às instituições financeiras que operam a linha um comunicado informando sobre a reabertura do sistema, para que novos pedidos de crédito sejam protocolados.

 

Demora indevida

A Organização Mundial do Comércio (OMC) indicou na última terça-feira, 10, uma “demora indevida” da Indonésia em reconhecer o processo de certificação sanitária do Brasil para exportações de carne de frango ao país asiático, informou o Ministério das Relações Exteriores em comunicado. Segundo a pasta, a organização divulgou resultado favorável ao Brasil em Painel de Implementação iniciado pelo governo contra barreiras comerciais da Indonésia às importações da proteína, em processo de certificação que remete a 2009. “De acordo com o relatório, diversas medidas aplicadas pela Indonésia continuam em desacordo com as regras da OMC… O Brasil espera que a Indonésia ajuste, o quanto antes, sua legislação e suas práticas, a fim de encerrar definitivamente o contencioso”, disse o ministério.

 

Sêmen bovino

A comercialização de sêmen bovino alcançou 16,7 milhões de doses de janeiro a setembro deste ano no país, informou na última quarta-feira, 11, a Associação Brasileira de Inseminação Artificial (Asbia). Houve um aumento de 30,1% em relação ao mesmo período de 2019. Em igual comparação, a produção no país cresceu 32%, para 9,832 milhões de doses. Segundo Márcio Nery, presidente da Asbia, em 2020 como um todo as vendas deverão se aproximar de 25 milhões de doses. Conforme a entidade, em relação à genética de raças de corte foram coletadas 8,059 milhões de doses nos primeiros nove meses deste ano, ante 6,129 milhões de janeiro a setembro de 2019. No caso das raças de leite, o aumento foi de 1,329 milhão para 1,774 milhão de doses na comparação. Entre outras informações, o trabalho mostrou que 4.146 municípios do país utilizaram inseminação artificial no período analisado.

 

Exportações

Levantamentos da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) mostram que as exportações brasileiras de carne de frango mantêm alta nos 10 primeiros meses em 2020, na comparação com o mesmo período de 2019. Ao todo, foram embarcadas 3,498 milhões de toneladas entre janeiro e outubro deste ano, contra 3,490 milhões de toneladas no ano passado. Em receita, as vendas do setor totalizaram US$ 5,066 bilhões, número 13% inferior ao registrado nos dez primeiros meses de 2019, com US$ 5,820 bilhões. No comparativo mensal, foram exportadas 319,7 mil toneladas no décimo mês de 2020, número 9,4% inferior às 353 mil toneladas exportadas no mesmo período de 2019. O resultado em dólares dos embarques de outubro alcançou US$ 446,8 milhões, número 21,2% menor em relação ao registrado no mesmo mês do ano anterior, com US$ 567 milhões.

 

Abate de bovinos

Os abates de bovinos sob algum tipo de serviço de inspeção sanitária somaram 7,58 milhões de cabeças no terceiro trimestre no país, 10,8% menos que no mesmo período de 2019, segundo dados da Pesquisa de Abate Trimestral divulgada na última quinta-feira, 12, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Na comparação com o segundo trimestre deste ano, porém, houve aumento de 3,8%. Já os curtumes investigados pela pesquisa declararam ter recebido 8,02 milhões de peças de couro de julho a setembro, em queda de 6,6% ante o terceiro trimestre do ano passado, mas com avanço de 9,5% frente aos três meses imediatamente anteriores.

 

Embarques de açúcar

As vendas externas de açúcar foram recorde em outubro de 2020, com aumento de 121%, passando de US$ 543,96 milhões em outubro do ano passado para US$ 1,20 bilhão no mesmo mês deste ano. A quantidade exportada de açúcar foi recorde para toda série histórica, com 4,2 milhões de toneladas. A China foi a maior importadora, com registros de US$ 311,74 milhões em aquisições ou 25,9% do valor total exportado pelo Brasil de açúcar. Outros países que compraram o açúcar foram a Índia (US$ 107,82 milhões; +33,8%), Bangladesh (US$ 85,07 milhões; +94,1%) e os Estados Unidos (US$ 61,95 milhões; +202,3%). Ainda no setor, houve aumento das exportações de álcool, que chegaram a US$ 184,87 milhões (75,4%). Os principais importadores de álcool brasileiro foram os Estados Unidos (US$ 63,91 milhões; -1,1%), a Coreia do Sul (US$ 45,79 milhões; +53,6%) e a União Europeia (US$ 45,75 milhões; +3.681%).