Coluna do Editor 11/12/2020

Numa operação articulada pela 20ª Regional de Saúde e a Casa Civil do Governo do Estado, com apoio da Emdur, foi feita a realocação da Farmácia Paraná do seu atual endereço, na Rua Santos Dumont, para o prédio da 20ª, na Rui Barbosa. A mudança aconteceu em regime de urgência porque parece que o imóvel locado corre risco de desabamento. Foram levados seis refrigeradores de remédios e vacinas.

“Acinte”

O vice-presidente nacional do Cidadania, deputado Rubens Bueno (PR), chamou de “acinte” à população a decisão do governo Jair Bolsonaro de isentar de impostos a importação de armas. “Isso é um acinte a todos nós, principalmente no momento em que o Brasil demanda de insumos, vacinas, para enfrentar o coronavírus”, criticou.

Presença

Bueno cobrou ainda ação do governo na estruturação no enfrentamento da pandemia. “Não é com armas que se combate o coronavírus, que já matou quase 180 mil pessoas. O que o país precisa é da presença do governo, que necessita urgentemente uma política nacional de imunização”, afirmou.

Zera

Rubens Bueno elogiou ainda a iniciativa do líder do Cidadania na Câmara, deputado Arnaldo Jardim (SP), de apresentar (Projeto de Decreto Legislativo para derrubar a resolução da Camex (Câmara de Comércio Exterior) que zera a alíquota de impostos para revólveres e pistolas.

Duro recado

O vereador reeleito Genivaldo Paes (PL) mandou um duro recado ao prefeito eleito de Toledo, Beto Lunitti, assim como ao vice Ademar Dorfschmidt. “Se Maomé não vai à montanha, a montanha não vai à Maomé”.

Respeito

A visão de Genivaldo é muito simples: o PL terá a segunda maior bancada na próxima Legislatura e merece respeito, algo que aparentemente não estaria acontecendo por parte dos eleitos.

“Traíras”

Durante entrevista ao “Fim de Tarde com o Editor”, que apresento de segunda a sexta-feira nas redes sociais do Jornal do Oeste, Genivaldo disse que um dos motivos para a derrota do prefeito Lucio de Marchi (PP) na eleição municipal foi a quantidade de “traíras” ao seu lado. Gente que, segundo o vereador, chegou a fazer jogo triplo.

Alerta

Sobre este assunto, o vereador disse ter feito uma reunião com o prefeito Lucio e o deputado estadual José Carlos Schiavinato onde, os vereadores de apoio ao prefeito na Câmara, teriam, segundo palavras de Genivaldo “colocado no prato oito cabeças” e que apenas uma saiu ao longo do tempo. Esse teria sido outro fator determinante para a derrota de Lucio na eleição deste ano.

Projeto pessoal

Genivaldo não poupou críticas ao ainda vereador Walmor Lodi pelo que classificou de “projeto pessoal” de tentar ser candidato a vice de “qualquer um”.

Vítima

Criticou ainda o atual vice Tita Furlan, escolha que Genivaldo Paes não consegue compreender até hoje. “Foi um vice que machucou muito”, analisou o vereador, citando ser “muito ruim” trair o grupo político no qual você está e, pior, sair ainda se fazendo de vítima. “Quem foi vítima nessa história toda foi o prefeito Lucio de Marchi”, disparou Genivaldo.

Nomes

Sobre os primeiros nomes anunciados pelo prefeito Beto Lunitti para integrar seu futuro secretariado, Genivaldo Paes classificou de “muito fraco” o time escalado até agora e que não espera nada de diferente em relação ao primeiro governo pela ligação ideológica da maioria dos anunciados até o momento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *