Coluna do Editor 21/05/2020

Desequilíbrio total

Tão logo terminou a reunião desta quarta-feira (20) do Conselho de Ética da Câmara de Toledo, os vereadores Antonio Zóio e Marcos Zanetti trocaram agressões verbais e empurrões. Cenas lamentáveis, tristes, vexatórias para uma legislatura que a cada dia cai mais em descrédito. Os dois são, ninguém mais, ninguém menos, que os presidentes da Câmara e do próprio Conselho, respectivamente.

 

Errados

Não interessa agora quem falou o que, quem empurrou antes ou depois. Ambos estão errados porque, como homens públicos, precisam compreender a grandeza dos cargos que ocupam e dar o exemplo à sociedade. Pena que de uns tempos para cá os exemplos da Câmara não sejam lá tão positivos quando se gostaria.

 

Vamos ver

O mais importante agora é saber qual será o comportamento dos demais vereadores, afinal, testemunhas não faltam para se tomar uma providência que, imagino, deva estar prevista no Regimento Interno. Vamos ver se dessa vez algo será feito de verdade ou então se manterá o ‘faz de conta’ corporativo que existe no Legislativo local.

 

Filiação

Antes dessa confusão toda, o Conselho havia arquivado, com base num parcer jurídico, uma denúncia feita por Camila Daniele da Silva, que reclama ter sido filiado ao PSL sem seu consentimento em 28 de outubro de 2015. Camila diz não ter sido comunicada pelo partido e só descobriu quando necessitou de uma declaração junto à Justiça Eleitoral. Para sua surpresa, lá constava a filiação. Na denúncia ela afirma ter ficado indignada com tamanha irresponsabilidade e que já comunicou as autoridades competentes quanto ao ocorrido.

 

Sem critérios

O relator, vereador Leandro Moura, leu os critérios para admissibilidade da notícia apresentada pela cidadã Camila Daniele da Silva e ressaltou que o pedido não atendia todos os necessários para levar o caso adiante, decidindo pelo arquivamento.

 

Fecha!

Com todo respeito, mas é melhor fechar de vez o Conselho de Ética, até porque na prática nada, absolutamente nada acontece. Coincidentemente, PSL era o partido de Leandro Moura até pouco tempo, portanto, ele, no mínimo, poderia se dizer impedido de analisar o pedido diante do conflito de interesses. Além disso, o presidente da Câmara Antonio Zóio pertencia ao mesmo PSL.

 

Perda de tempo

Para Leoclides Bisognin “a continuidade da denúncia é uma perda de tempo para o Conselho de Ética. Problema de partido deve resolver no partido por não citar o nome de ninguém” e ressaltou que nem mesmo deveria ser levada ao Ministério Público por ser uma questão do partido.

 

Adiante

Gabriel Baierle pediu o encaminhamento ao Ministério Público Eleitoral para analisar a denúncia, assim como Renato Reimann, que destacou ter a Justiça Eleitoral todas as condições de levantar e punir em caso de eventual irregularidade;

 

Ritos

Marcos Zanetti votou favorável com o relator e disse que em algumas vezes gostaria de tomar uma decisão e é embasado pelo Regimento Interno. “Também não era a vontade acatar essa denúncia, mas primamos por cumprir os ritos legais e vamos tomar as providências cabíveis”, ou seja, encaminhar o assunto à Justiça Eleitoral.

 

Envenenamento

Há alguns dias uma onda de mortes de animais domésticos tem assustado a população da Vila Industrial e Jardim Gisela em Toledo. Esta semana um cachorro morreu vítima de envenenamento, assim como dois gatos que foram encontrados mortos na Rua Santo Campagnolo, esquina com Santo Ângelo.

 

O leitor escreve…

Recebi uma mensagem de um leitor que reclamou da cobrança do Estacionamento Rotativo (EstaR) no Centro de Toledo. “Numa época tão difícil que estamos vivendo, a gente está pagando para trabalhar. É uma pouca vergonha o que estão fazendo cobrando o estacionamento”, desabafou o leitor que é representante comercial.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *