Coluna do Editor 22/08/2020

Irritado

O jovem vereador Gabriel Baierle (Democratas) demonstrou toda sua irritação durante a última sessão ordinária na Câmara de Toledo, especialmente contra alguns grupos poderosos da cidade. “Meu dever de legislador é cumprido integralmente”, começou ele, ressaltando exercer total responsabilidade sobre o cargo de vereador.

 

Dinheiro

“O que assistimos em Toledo é complicado”, seguiu Baierle, citando que “muitos que têm dinheiro em Toledo pensam que mandam na cidade”. O vereador disse ainda que a política mudou e as últimas eleições mostraram isso. “O dinheiro, meu amigo, pode torrar o dinheiro, mas quem decide na urna é o povo. Só dinheiro não ganha eleição”, emendou, sem dar nomes aos bois.

 

Desprezo

Gabriel Baierle afirmou que essas pessoas não dão valor para as lideranças dos bairros. “Para eles (com dinheiro) esse povo não existe”, completou, citando ainda que as verdadeiras lideranças estão na Câmara com os votos da população. “Essas pessoas gostam de menosprezar, gostam de subestimar, mas quem faz a verdadeira política é quem tem voto, é quem sai na rua e sabe a realidade do povo”.

 

Passado

O vereador afirmou também que são essas lideranças dos bairros que sabem o quanto as pessoas mais humildes dependem da coisa pública. “Política do dinheiro é passado. Eles acham que são os ‘bambambans’ de Toledo, mas quem decide é o povo”, finalizou Gabriel Baierle.

 

União

Há alguns dias queria comentar sobre isso e, aproveitando a deixa de Baierle, quem sabe não seja a hora de Toledo começar a deixar para trás algumas rusgas históricas que não levam a nada com coisa alguma. Picuinhas políticas que ao longo dos anos foram se acentuando sem benefício algum para a cidade.

 

Diálogo

Quem sabe não seria a hora, até por conta desta pandemia pela qual passamos, de alguns grupos políticos conhecidos sentarem-se à mesma mesa em busca do diálogo, do esforço concentrado para poupar o eleitor de uma disputa eleitoral que, sim, pode ser resolvida de maneira bem mais tranquila.

 

Sem disputa

Quem sabe, caso não seja possível os principais grupos se unirem para, sem disputa nas urnas, construírem uma chapa capaz de levar a cidade a outro patamar, mais organizado e sonhando alto com o futuro.

 

Representatividade

Algumas disputas políticas produziram, com o passar do tempo, a perda de representatividade de Toledo no âmbito estadual, confirmada na eleição passada, quando nenhum candidato da cidade se elegeu para a Assembleia Legislativa.

 

Sem deputado

E por mais que alguns insistam no discurso de que este ou aquele deputado é de Toledo e ajuda a cidade, a verdade é uma só: Toledo está sem deputado estadual porque é diferente uma pessoa que conhece a cidade e outra que de vez em quando passa por aqui.

 

Exemplo

Nunca é demais lembrar do exemplo de Marechal Cândido Rondon, que já contou com um deputado federal, dois estaduais e hoje…

 

Apoio

O deputado federal José Carlos Schiavinato votou pela manutenção do veto do presidente Jair Bolsonaro, congelando os salários dos servidores públicos até dezembro de 2021. Na visão de Schiavinato, a medida será importante para o equilíbrio das contas públicas no próximo ano, quando será preciso um esforço muito grande para a retomada da economia pós-pandemia do novo coronavírus.

 

Municípios

Ainda na esteira da questão eleitoral, Schiavinato disse que, além de Toledo, tem compromisso com mais 50 municípios do Paraná e que pretende levar até o fim seu mandato como deputado federal.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *