A importância da comunicação. E sua valorização!

0 31

O governador Carlos Massa Ratinho Junior esteve em Foz do Iguaçu nesta segunda-feira (20) para participar do Fórum Nacional das Secretarias Estaduais de Comunicação e da abertura do 26º Congresso Paranaense de Rádio e TV. Em ambos os eventos, ele exaltou a importância da livre atuação dos veículos de comunicação e defendeu o bom relacionamento entre o poder público e a imprensa, com valorização dos produtores locais de conteúdo.

Segundo o governador, uma das estratégias do Governo do Estado para fortalecer o setor é o de valorização dos veículos de todos os portes, com um contato direto por meio da Secretaria da Comunicação. E realmente no Paraná isso tem acontecido graças também à organização do setor que, embora venha sofrendo algumas perdas consideráveis nos últimos anos, ainda assim é um setor dos mais organizados do Brasil. O JORNAL DO OESTE, por exemplo, integra a Associação dos Diários do Interior (ADI-PR), que representa dezenas de veículos espalhados por todas as regiões do estado e com alcance de milhares de pessoas.

A comunicação é algo de extrema relevância na vida das pessoas. Somente através de uma imprensa fortalecida é possível fortalecer a própria sociedade. Tanto é verdade que uma das primeiras medidas em países onde se busca o controle da população é enfraquecer seus meios de comunicação. Qualquer semelhança com a realidade brasileira não é mera coincidência.

O combate à fake news passa pelo fortalecimento da imprensa, em especial dos veículos locais que têm importância pela proximidade com a comunidade na qual estão inseridos. Peguemos a realidade de Toledo, onde existe uma imprensa bem organizada, mas que vem perdendo cada vez mais espaço. Na hora do investimento vale mais um impulsionamento nas redes sociais que um anúncio em qualquer veículo organizado. Não que as redes sociais precisem ser desprezadas por completo, até porque elas vieram para ficar. Entretanto, a análise da importância de veículos sérios, organizados e fortalecidos vale apenas quando se tem interesse em ‘aparecer na foto’, quando na prática o que se percebe é uma desvalorização generalizada do trabalho realizado pela comunicação local. Inclusive por entidades que poderiam repensar sua forma em fazer comunicação. Para refletir.

Deixe um comentário