Adaptações necessárias

Diante da pressão estabelecida pelo Governo do Estado sobre os prefeitos que não aderiram ao decreto determinando a quarentena nas oito Regionais de Saúde – entre elas a de Toledo – e diante do quadro mutável quase que diariamente que a pandemia do novo coronavírus tem provocado no Paraná, adaptações estão sendo necessárias de uma hora para outra, como aconteceu nesta terça-feira (7) com a publicação do Decreto 851, da Prefeitura de Toledo, estabelecendo uma espécie de ‘mini feriado’ para a próxima semana. Mais precisamente a partir do próximo sábado, dia 11 de julho, quando a cidade permanecerá fechada.

E dessa vez as exceções são pouquíssimas, afinal, a ideia é tentar reorganizar a vida da sociedade quando esse momento tão crítico passar. Na teoria a ideia é antecipar três feriados: o dia do aniversário do município, o dia dos professores e ainda o dia dos servidores públicos. Na prática vai mais além…

Mais porque a ideia, se num primeiro momento soa como absurda, tem uma visão futura que poucos estão conseguindo enxergar e tem mais impactos positivos que negativos.

Primeiro porque servirá para serenar os ânimos entre os governos, do Estado e do Município, afinal, o decreto estadual vai até o dia 15, na próxima semana; depois porque vai abranger uma época onde tradicionalmente se vende pouco e com menores impactos sobre a economia ao se determinar o fechamento de todas as atividades, salvo aquelas previstas como essenciais, caso dos supermercados, por exemplo.

Há ainda outro fator importante na decisão que é pensando no longo prazo. Quando essa pandemia terminar, algo previsto para acontecer dentro de mais uns dois, três meses no máximo, não haverá mais tantos feriados assim e isso será vital para o momento decisivo de recuperação da economia na reta final deste ano até agora difícil. Como se não bastasse, de certa forma organiza a bagunça quando se trata do aniversário do município, onde uma parte do comércio abre e outra fecha, sem ninguém entender quase nada.

São adaptações necessárias e que terão um impacto mais positivo que negativo para o momento que se vive. Basta agora a população fazer sua parte, contribuir e se manter em casa nestes dias a fim de que a pressão sobre o sistema de saúde seja reduzida ainda mais e a curva ascendente de casos comece, enfim, a ceder.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *