O alvo agora são os idosos

Se no início da pandemia do novo cornavírus em Toledo a preocupação era generalizada, agora o alvo são os idosos e os perigos que este público corre ao entrar em contato com uma doença cuja letalidade na faixa etária mais alta é igualmente elevada. No mundo inteiro foi assim e agora as autoridades em saúde pública da Prefeitura de Toledo querem o apoio da imprensa e da comunidade no sentido de alertar ainda mais as pessoas mais velhas. A ‘Missão Idoso’, como o JORNAL DO OESTE chamou este novo período no combate à doença, chega com um objetivo muito claro: evitar ainda mais mortes na cidade.

Essa preocupação é pertinente porque hoje 80% dos pacientes internados nos leitos – em especial os da Unidade de Terapia Intensiva – são da faixa etária mais elevada, ou seja, com um maior risco. Não se trata de causa o pânico generalizado, mas sim de alertar e, neste sentido, agem de maneira correta as autoridades toledanas. Oxalá em outros momentos no meio desta pandemia tivesse havido tanta proximidade entre as autoridades e a imprensa, muitas vezes deixada de lado em meio ao caso instalado por causa da pandemia.

A mesma imprensa que agora é vista como fundamental ficou à margem de decisões importantes ou então foi comunicada com atraso sobre questões que poderiam ter sido conduzidas de maneira diferente se tivesse havido este diálogo de agora.

Mas o momento não é de críticas e sim de ajuda, por isso o JORNAL DO OESTE deu amplo destaque ao evento deste início de semana e fará tudo que estiver ao seu alcance no sentido de auxiliar as lideranças em evitar ao máximo novas mortes, como as três que ocorreram esta semana, chegando a 31 no total até esta terça-feira (11). Aliás, desde o início este veículo de comunicação tem procurado divulgar ao máximo toda e qualquer decisão em relação à Covid-19 e tem feito ampla campanha para que a sociedade das várias cidades por onde circula respeitem as regras estabelecidas pelo poder público, por somente dessa forma coordenada será possível não apenas evitar novas mortes ou novos casos, mas finalmente se voltar a respirar com maior tranquilidade. Mas ainda de máscara!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *