O hábito da leitura

0 81

Na edição de hoje o JORNAL DO OESTE aborda a questão do hábito da leitura e sua importância no desenvolvimento não apenas intelectual, mas também emocional das crianças. E nesta época de férias escolares, quando muitos pais não sabem a quem ou ao que recorrer para passar o tempo, uma ‘incursão’ às bibliotecas municipais podem ser uma ótima pedida, afinal, um universo sem limites à imaginação abre as portas para quem deseja sonhar nas palavras, voar nas páginas eternizadas de autores cuja capacidade criativa desafia os limites mais improváveis.

No caso de quem mora ou está a passeio por Toledo, uma ótima opção é conferir a ‘nova’ Biblioteca Pública Municipal, que fica no Centro Cultural Oscar Silva, em frente à Praça Willy Barth, no ‘coração’ da cidade. Nova porque no fim do ano passado o espaço foi entregue completamente remodelado, hoje se tornando um espaço agradável a quem não apenas o visita, mas quem também lá trabalha. Novos ares, novo ânimo!

Novos espaços foram criados, novos livros incorporados ao acervo, assim como novas ideias, como a noite do pijama que atraiu dezenas de crianças à biblioteca em dezembro, permitindo conhecer a história do prédio que guara consigo um bom pedaço da memória de uma cidade que sempre se orgulhou em ser uma das mais atuantes quando se trata de cultura no interior do Paraná. E isso desde o início de sua história.

Mesmo sem uma programação complementar neste período de férias, a Biblioteca Pública Municipal está com uma grande visitação do público neste começo de 2024, fruto desta nova ‘roupagem’ e deste novo espírito. Pessoas em busca de um local tranquilo e agradável para fazer a alma repousar e a imaginação voar solta.

O hábito da leitura quanto mais cedo for repassado, mais fácil se torna depois na vida adulta para estudar, compreender textos, ter um pensamento mais crítico em relação aos acontecimentos, além de permitir estabelecer uma rotina quando necessário, pois ler exige paciência, comprometimento, dedicação. E em tempos onde a velocidade do pensamento, do acesso à informação e a volatilidade parecem ser a tônica, quem sabe criar este novo hábito não seja o início de uma transformação para uma nova geração.

Deixe um comentário